Províncias

Malária é principal causa de mortes em Menongue

Weza Pascoal | Menongue

A malária causou a morte de 45 crianças no mês passado no Hospital Pediátrico de Menongue, província do Cuando Cubango, que registou durante o período em referência 3.698 casos, com 498 internamentos, informou, sexta-feira, a di-rectora da referida unidade sanitária.

População é aconselhada a procurar as unidades sanitárias logo após os primeiros sintomas
Fotografia: nicolau vasco | menongue | edições novembro

Ilidia Martins, em entrevista ao Jornal de Angola, explicou que a unidade hospitalar tem registado nos últimos dias elevados casos de malária e doenças diarreicas agudas, tendo em conta a época chuvosa, que tem contribuído negativamente na criação de charcos de água e capim ao redor das residências. Acrescentou que os amontoados de lixo que se verificam em todos os bairros da cidade de Menongue também têm contribuído para o aumento de casos de doenças na região, uma vez que os resíduos sólidos e as águas paradas são os principais lugares para a multiplicação dos mosquitos, transmissores da malária.
Ilidia Martins disse que no período em balanço o Hospital Pediátrico de Menongue atendeu 6.178 crianças com diversas patologias, das quais 624 internaram e 75 morreram. Sublinhou que, depois da malária, as patologias mais frequentes são as respiratórias agudas, com 1.147 casos, as doenças diarreicas agudas, com 541 ocorrências, a parasitose, com 224 casos, e as dermatites (infecções na pele), com 208 casos. Ilidia Martins conside-rou necessária a conclusão urgente das obras de ampliação da unidade hospitalar, de formas a prestar uma melhor assistência aos pa­cientes e aumentar a capacidade de internamento, visto que nesta época chuvosa o hospital atende entre  200 a 300 pacientes por dia, sendo que muitos são internados nos corredores por falta de espaço.
O Hospital Pediátrico de Menongue conta com dez salas de internamento, com 86 camas, mas na época chuvosa são adaptadas camas nos corredores, elevando a capacidade para 150.
A directora do Hospital Pediátrico de Menongue referiu ainda que a unidade sanitária  está preparada para atender a procura dos pacientes nesta época chuvosa, tendo em conta que tem medicamentos e material gastável suficiente para os doentes que internam.
Ilidia Martins acrescentou que caso os pacientes não estejam em estado crítico são passadas receitas para a aquisição de fármacos nas farmácias externas. O Hospital Pediátrico de Menongue, ainda de acordo com Ilidia Martins, é assegurado por oito médicos nacionais e 32 enfermeiros, que têm feito tudo para garantir uma melhor assistência médica e medicamentosa aos pacientes.
 
Balanço do ano passado
Durante o ano passado, a referida unidade sanitária atendeu 48.300 crianças com várias patologias, das quais 5.735 internaram e 615 morreram. Ilidia Martins disse que durante o ano passado foram registados 25.291 casos de malária, 8.359 de doenças respiratórias agudas, 5.666 de doenças diarreicas agudas, 1.463 de parasitose intestinal, 875 de dermatites, 275 de conjuntivite, 260 de otite média, 212 de má nutrição, 191 de febre tifóide e 168 de schistosomíase. Disse que o Hospital Pe-diátrico de Menongue carece de um laboratório, salas de cuidados intensivos, serviço de dermatologia, imagiologia (para a realização de ecografias e radiografia) e uma morgue.

Tempo

Multimédia