Províncias

Malária é principal causa de morte no Hospital Central de Ndalatando

Kátia Ramos | Ndalatando

A malária continua a ser a principal causa de mortalidade no hospital provincial do Kwanza-Norte, tendo este ano causado a morte de 275 pessoas, menos 216 em relação ao ano passado.

A malária continua a ser a principal causa de mortalidade no hospital provincial do Kwanza-Norte, tendo este ano causado a morte de 275 pessoas, menos 216 em relação ao ano passado.
Um relatório da instituição revela que durante este ano foram registados 11.326 casos. O documento releva também que as diarreias, tidas como a segunda causa de morte, contabilizaram, 3.766 casos, com 25 óbitos. As doenças respiratórias causaram 43 óbitos num total de 3.797 casos.
O Hospital Central de Ndalatando registou dez mortes por febre tifóide, com um total de 3.447 casos diagnosticados, seis mortes por hepatite, para além de 148 pacientes internados com esta patologia.
No total faleceram no hospital 470 pessoas, dos 11.792 pacientes internados. O serviço que mais internamentos registou foi a pediatria, com 4.166 casos e
171 óbitos. A Maternidade Provincial do Kwanza-Norte efectuou 2.631 partos, dos quais 233 por cesariana.
Durante o ano ocorreram 21 partos de gémeos e um trigémeo por cesariana. A taxa de mortalidade infantil, perinatal e materna é elevada em relação ao ano anterior, registando-se, durante o ano, mais de 5,3 por cento da taxa de mortalidade infantil e três por cento do perinatal e cinco da materna, contra os oito por cento da taxa de mortalidade infantil de 2008.
A malária, as diarreias e as doenças respiratórias agudas são tidas como a causa premente de mortalidade infantil. As infecções, hemorragias pôs parto e intoxicação por medicamentos são as principais causas de mortalidade materna.
 O bloco operatório do hospital de Ndalatando realizou 1.649 cirurgias, sendo 680 grandes cirurgias e 969 pequenas, mais 661 em relação a igual período do ano passado.
O banco de urgência atendeu 38.462 pacientes com diferentes patologias, sendo 18.086 adultos e 20.376 crianças, contra os 15 mil adultos e 12.978 crianças registados no ano passado.
Kwanza-Norte tem uma densidade populacional estimada em 420 mil pessoas.
Fazem parte da província o município do Golungo-Alto, Cazengo, Lucala, Samba Cajú, Ambaca, Quiculungo, Bolongongo, Banga e Ngonguenbo A província produz essencialmente café, banana, entre outros produtos agrícolas.

Tempo

Multimédia