Províncias

Mbanza Kongo carece de contentores de lixo

Kayila Silvina | Mbanza Kongo

A cidade de Mbanza Kongo, localidade elevada à categoria de Património Mundial da Humanidade, precisa urgentemente de mais contentores e camiões basculantes para a recolha do lixo.

Focos de lixo em bairros periféricos tendem a aumentar
Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Zaire

A população defende a necessidade de haver maior fiscalização e entrosamento das empresas contratadas pela Administração Municipal para a limpeza e embelezamento da cidade.
O problema foi levantado sexta-feira pelos habitantes do município de Mbanza Kongo, no encontro de auscultação promovido pelo Governo Provincial do Zaire, testemunhado pela administradora de Mbanza Kongo, Nzuzi Makiesse.
Como consequência do débil saneamento básico, Mbanza Kongo regista numerosos casos de cidadãos com malária à procura de assistência médica e medicamentosa nos hospitais.
A situação agrava-se com as chuvas que se abatem torrencialmente nos últimos dias sobre a região. Os habitantes da cidade de Mbanza Kongo temem que a acumulação de lixo, sobretudo em bairros periféricos, permita o surgimento de várias doenças, como a febre tifóide e doenças diarreicas agudas.
Fineza Valentim, moradora do bairro 11 de Novembro, mostrou-se agastada com o surgimento de focos de lixo próximo da sua residência, sita na rua 8 de Julho (Kimbangu). A moradora refere que muitos citadinos do seu bairro, logo pela manhã, depositam lixo no chão. “Não consigo dormir a vontade, devido aos mosquitos e cheiro nauseabundo do lixo, e raras vezes vemos o carro da recolha no local”.
A administradora de Mbanza Kongo tomou nota das preocupações levantadas e garantiu trabalhar em estreita colaboração com as empresas de recolha de lixo, para melhorar o saneamento básico nos bairros da cidade. “Vamos melhorar o sistema de recolha de lixo em todos os bairros e a colocação de contentores para o depósito dos resíduos”, disse Nzuzi Makiesse.

Tempo

Multimédia