Províncias

Melhor preparação de terras aráveis é prenúncio de boa campanha agrícola

Fernando Neto | Mbanza Congo


A província do Zaire vai investir 9,8 milhões de dólares na preparação de mil hectares de terra arável na campanha agrícola 2009/2010, afirmou, na terça, feira, ao Jornal de Angola, o director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural.

Alfaias agrícolas apoiam os camponenses no desbravamento de terrras
Fotografia: Adolfo Dumbo

 
  
A província do Zaire vai investir 9,8 milhões de dólares na preparação de mil hectares de terra arável na campanha agrícola 2009/2010, afirmou, na terça, feira, ao Jornal de Angola, o director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural.
Paixão Esteves referiu que a verba se destina, também, à “aquisição de sementes e de matérias agrícolas”.
Os mil hectares, disse, vão ser trabalhados pela empresa Mecanagro e destinam-se a 20.105 camponeses, distribuídos por 91 cooperativas e 165 associações que se dedicam ao cultivo de vários produtos, principalmente da mandioca, principal alimento na região.
A direcção, declarou, regista 59 famílias, que vão lavrar a terra com meios rudimentares, como enxadas e catanas, cabendo a cada uma “meio hectare de campo agrícola”.
Dos mil hectares que vão ser desbravados pela Mecanagro - que subcontratou as empresas privadas “Magan”, “Lactan” e “Boa Esperança e Filhos” - 200 são no município do Soyo, igual número no Tomboco, 175 no Nzeto, 50 em Mbanza Congo e Kuimba, e 125, em Nóqui.
 Na comuna do Kalambata, foram já desbravados 25 hectares, que simbolizam o início da época agrícola.
 Paixão Esteves afirmou, no acto simbólico do início da campanha, que, para garantir a assistência técnica às cooperativas e associações, foram criadas nos municípios de Mbanza Congo, Soyo, Tomboco e Nzeto, Estações de Desenvolvimento Agrário (EDA) que são também apoiados pela Africare, uma ONG de origem norte-americana, em questões técnicas quanto à manipulação das sementes.
O vice-governador do Zaire, Eduardo Zabila, referiu que a distribuição de hectares de terra mecanizados e dos materiais agrícolas aos camponeses, enquadrados nas cooperativas e associações, tem como finalidade possibilitar a autoprodução de alimentos essenciais para a subsistência da população, em resposta ao programa do Governo de combate à fome e a pobreza.
O representante da ONG Africare em Angola, Christian Isely, recordou que a agricultura é um factor importante para o fortalecimento da economia na província do Zaire, principalmente nesta fase caracterizada pelo regresso dos filhos provenientes do exílio na República Democrática do Congo.

Tempo

Multimédia