Províncias

Melhorada qualidade de vida da população

A. Martins | Capunda Cavilongo e João Luhaco | Lubango

A construção de moradias e a expansão dos serviços sociais na comuna de Capunda Cavilongo, município da Chibia, na província da Huíla, permitiram a acomodação dos quadros dos sectores da Educação, Saúde e da Agricultura, informou ontem, o administrador da circunscrição.

Estão a ser reabilitadas e construídas na comuna várias infra-estruturas de impacto social
Fotografia: Edições Novembro

João Muetchipandi disse que, com as condições criadas para os quadros, houve grandes melhorias, sobretudo nos sectores da Educação e da Saúde, onde boa parte da população passou a ter acesso fácil ao ensino e assistência médica e medicamentosa.
Lembrou que, com base no programa habitacional de construção de 200 fogos por cada município, a comuna foi contemplada com cinco casas sociais, que serão entregues aos quadros.
No quadro do Programa de Combate à Fome e à Pobreza, foram construídas, em 2013, quatro casas evolutivas de dois quartos cada, além de terem sido erguidos um mercado comunal, uma padaria e um armazém comunitário.
Na sede comunal de Capunda Cavilongo  está em construção um posto de Polícia e um   hospital, que vai garantir e melhorar a assistência sanitária à população.
Apesar dos ganhos registados nos últimos anos, ainda assim, o administrador comunal salienta a falta de quadros, sobretudo no sector da Educação, que necessita de pelo menos de mais 150 professores para colmatar o défice existente.
João Muetchipandi sublinhou que actualmente estão controlados 120 professores, que leccionam  nove mil alunos matriculados no ensino primário e no ensino secundário do II ciclo, mas disse que por falta de docentes muitas crianças ainda se encontram fora do sistema normal de ensino.

Falta de quadros

A comuna conta com 22 escolas, nove das quais construídas recentemente.
O sector da Saúde não foge à realidade da Educação, pois também carece de quadros para dar resposta a procura e permitir uma boa assistência à população.
O administrador comunal de Capunda Cavilongol esclareceu que na região existem dois centros de saúde, um na comuna sede e outro na localidade de Camana, mas disse que são necessários 40 técnicos, distribuídos em 20 para cada centro.
De acordo com o administrador João Muetchipandi, a comuna funciona apenas com três técnicos efectivos no centro comunal e dois no centro de Camana, que atendem os 80 mil habitantes.

Projectos no meio rural

O projecto integrado de resiliência às alterações climáticas que o Ministério da Agricultura vai implementar a partir de Setembro próximo na região Sul da província da Huíla vai beneficiar mais de 60 por cento da população rural, tendo como base as escolas de campo, informou, na cidade do Lubango, o director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural e Pescas.
Lutero Campos explicou que, para o sucesso do projecto, escolheram como base as escolas de campo, por serem uma referência onde se concentra a maior parte da força interactiva das zonas rurais da província da Huíla, principalmente os camponeses.  No seu entender, primeiro  dever-se-á fazer a sensibilização educativa, para que os camponeses da região produzam mais e desta maneira poder-se obter resiliência a todas alterações climáticas que se registarem.
Lutero Campos disse igualmente que estes projectos vão potenciar os agricultores a desenvolverem as suas tarefas com normalidade.
De acordo com Lutero Campos, o projecto de fortalecimento da segurança alimentar,  que  vai também beneficiar a população das províncias do Namibe e do Cunene,  terá a sua base  na província da Huíla.
O projecto está avaliado em aproximadamente  6 milhões de dólares, financiados pela União Europeia, e tem igualmente uma componente de produção e comercialização.
Note-se que  a  seca no Sul de Angola tem prejudicado seriamente o dia-a-dia da população da região, havendo momentos em que a falta de comida e água afecta milhares de  pessoas.
As províncias do Cunene e da Huíla são as mais afectadas  com a seca, que acontece de maneira cíclica e que, na maior parte das vezes, provoca a morte do gado.

Tempo

Multimédia