Províncias

Melhoria dos serviços de saúde em análise

João Luhaco | Lubango e João Salvo | Saurimo

Os assuntos ligados à saúde devem merecer uma discussão mais profunda por parte das entidades de direito, para que a sociedade possa beneficiar de serviços médicos seguros e com alta dimensão na condição preventiva, defendeu terça-feira, no Lubango, a vice-governadora da Huíla para o Sector Político e Social.

A realização do Conselho Consultivo da Direcção Provincial de Saúde é uma oportunidade para balancear e perceber o que correu bem
Fotografia: João Luhaco

Maria João Tchipalavela, que falava na abertura do segundo Conselho Consultivo alargado da Direcção Provincial da Saúde, referiu ser importante o papel da academia para a discussão científica dos assuntos da saúde.
A vice-governadora defendeu que a discussão dos assuntos da saúde seja também feita pelos estudantes da universidade. “Precisamos que a aprendizagem não seja apenas teórica, mas também prática, que permita que os estudantes, futuros enfermeiros e médicos, possam ter um perfil adequado”, frisou.
“É preciso olharmos com mais acuidade para a formação dos recursos humanos, para que possam responder àquilo que são as ansiedades e as preocupações dos gestores, fundamentalmente para as inquietações dos cidadãos, aconselhou a governante.
Maria João Tchipalavela lembrou aos participantes do segundo Conselho Consultivo da Saúde que “precisamos de responder e dar aos cidadãos um conjunto de serviços e de respostas que respondem as suas expectativas.”
A governante fez saber que a realização do Conselho Consultivo da Direcção Provincial de Saúde é uma oportunidade para se balancear e perceber o que correu bem, o que é preciso melhorar em função do novo contexto, assim como aquilo que são os indicadores que pretendiam alcançar durante o ano e ver quais foram os resultados para se poder projectar a visão do próximo ano. De referir que o segundo Conselho Consultivo da Direcção Provincial da Saúde, que decorreu nos dias 27 e 28, sob o lema “A saúde, rumo aos objectivos de desenvolvimento do milénio", debateu assuntos como a gestão da mal nutrição comunitária, a febre-amarela, acções e lições aprendidas, planificação e orçamento municipal e a situação actual e perspectivas dos hospitais.

Lunda Sul com mais técnicos

O sector da Saúde na província da Lunda Sul colocou à disposição do mercado de trabalho 200 novos técnicos, formados nas especialidades de Enfermagem Geral, Análises Clínicas, Radiologia, Fisioterapia e Farmácia, informou ontem a director da instituição.
Guilhermina Ferreira caracterizou de proveitoso o balanço do ano lectivo 2016/2017, fruto de empenho dos professores, da direcção e dos estudantes. Para o próximo ano, disse a directora da Escola Técnica de Enfermagem, as perspectivas apontam para 200 vagas e mais de 1.300 alunos, que transitaram de classe, poderão fazer a reconfirmação das suas matrículas.
O director provincial da Saúde, Costa Samuquinda, anunciou que no próximo ano o sector vai ganhar duas novas unidades sanitárias, com capacidade de cem camas cada. A outra boa nova avançada por Costa Samuquinda é a incorporação de novos médicos e licenciados em Enfermagem, que terminaram recentemente a sua formação nas faculdades de Medicina em Malanje e na cidade de Luena, para além dos técnicos médios formados localmente.
O director provincial da Saúde entende que a introdução destes técnicos vai colmatar o défice de quadros registado ainda em alguns centros hospitalares.
A inclusão de novos técnicos será feita de forma gradual e a ideia é colocar em cada hospital municipal dois a três médicos, para satisfação dos anseios da população.

Tempo

Multimédia