Províncias

Menongue ganha centro ortopédico

Carlos Paulino | Menongue

O Município de Menongue ganha, no próximo dia 11, um novo centro ortopédico, devidamente apetrechado e com capacidade para 56 camas, no quadro das festividades do 41.º aniversário da conquista da Independência Nacional, anunciou ontem o vice-governador provincial para o sector político e social.

Centro dispõe de uma área para tratamento fitoterapêutico e consultórios médicos para atender doentes vindos de toda a província
Fotografia: Arimateia Baptista

Pedro Camelo, que falava durante a abertura das jornadas comemorativas alusivas ao Dia da Independência Nacional, disse que, no quadro da efeméride, outras infra-estruturas vão ser inauguradas, a exemplo de uma escola de seis salas de aula, na comuna do Missombo.
Orçado em cerca de 140 milhões de kwanzas, o novo centro ortopédico foi construído num espaço de 1.324 metros quadrados e conta com uma área para tratamento fitoterapêutico, dois consultórios médicos, sala de enfermagem, de massagem, de reuniões, refeitório, lavandaria, entre outros compartimentos. 
Esta infra-estrutura vai substituir uma outra construída em 1994, que se encontra em estado avançado de degradação e não apresenta condições para internamento dos pacientes, principalmente aqueles em estado grave, que, depois de serem assistidos, são obrigados a ir para casa e fazerem tratamento ambulatório.
O actual centro ortopédico de Menongue regista, nos últimos tempos, um aumento considerável de doentes e diariamente chega a atender, de 30 a 40 pacientes, oriundos, sobretudo, das províncias de Luanda, Cunene, Huambo e Bié, que vão em busca de tratamento de fisioterapia e ortoprotesia.
Pedro Camelo anunciou  que o acto provincial do 41.º aniversário Independência Nacional está previsto para o Município de Mavinga, 400 quilómetros da cidade de Menongue.
Durante as jornadas comemorativas, está  prevista a realização de palestras sobre os ganhos da Independência Nacional nos mais variados sectores, um torneio quadrangular de futebol 11, visitas a locais históricos, além de actividades músico-culturais. O vice-governador provincial para o sector político e social pediu a toda a população da província para participar activamente em todas as manifestações que visam saudar a data, “para honrar todos os filhos da pátria angolana que sacrificaram as suas vidas na luta contra o colonialismo português”, para a conquista da Independência Nacional, a 11 de Novembro de 1975. “A Independência de que usufruímos hoje resultou do esforço desmedido de angolanos eternizados, que são os nossos heróis, uma vez que, apesar dos meios de guerra e da brutalidade da acção repressiva colonial, entregaram-se de corpo e alma em prol de uma causa comum, que era a liberdade”, concluiu.

Tempo

Multimédia