Províncias

Milhares de crianças são vacinadas este mês

Adelaide Mualimusi | Ondjiva

As autoridades sanitárias do Cunene prevêem imunizar a partir de amanhã e até dia 22 deste mês, 481.675 crianças dos noves meses aos 15 anos contra o sarampo e rubéola, bem assim como 196.177 contra a poliomielite, no âmbito do programa de vacinação.

Vacinação no Cunene decorre em duas fases e conta com o apoio de vários organismos
Fotografia: Edições Novembro

O chefe do Departamento de Saúde Pública da Direcção Provincial da Saúde no Cunene, Belarmino Satiohamba, sem avançar o número de doses disponibilizadas, adiantou que a campanha vai abranger os petizes dos seis municípios da região.
O responsável disse que a campanha vai decorrer em duas fases, sendo a primeira de 9 a 13 deste mês e a segunda entre os dias 16 e 22. Belarmino Satiohamba informou que na primeira fase vão ser administradas vacinas no meio urbano e na segunda no meio rural.
Para o êxito da campanha, as autoridades sanitárias do Cunene vão contar na primeira fase com o apoio de 87 equipas, compostas por 261 técnicos e 435 agentes voluntários, ao passo que na segunda farão parte 107 equipas, abarcando 331 técnicos e 321 voluntários.
Belarmino Satiohamba acrescentou, por outro lado, que o processo vai contar também com apoios das administrações municipais, autoridades tradicionais e religiosas, bem como de efectivos da Polícia Nacional e das Forças Armadas Angolanas (FAA).
A vacina está incluída no frasco do sarampo para ser aplicar numa única doze. O chefe de Saúde Pública do Cunene lembrou que a grande preocupação neste momento é a chuva que se registado nos últimos dias e que tem causado inundações em algumas zonas da região. Não obstante, estão a ser envidados esforços para a criação de condições para que a campanha decorra sem sobressaltos.
A rubéola é uma doença grave que também é transmitida facilmente a outra pessoa e tem maior impacto quando identificada numa mulher grávida, porque o bebé infectado poderá nascer com má formação congénita.
“A mesma manifesta-se com febres e borbulhas na pele, principalmente na cara, descendo até aos pés”, disse Belarmino Satiohamba, que apela aos pais, encarregados de educação e familiares a colaborarem com as autoridades sanitárias no sentido de levarem as crianças para vacinação.
Belarmino Satiohamba lembrou que no ano passado a província registou 37 casos de sarampo. “Por isso, há necessidade de realizar a campanha para prevenir a doença”, concluiu.

Tempo

Multimédia