Províncias

Mini-hídrica arranca em Agosto

Arão Martins | Chibia

A mini-hídrica em construção na barragem das Gangelas, município da Chibia, com capacidade para produzir dois megawatts de energia eléctrica, entra em funcionamento em Agosto, assegurou o director da obra, Paulo Tchicuco.

O governador da província João Tyipinge visitou a infra-estrutura que vai permitir aos agricultores que trabalham ao longo do perímetro das Gangelas aumentar a sua produção
Fotografia: Arão Martins

A instalação da mini-hidrica está a ser feita pelos Ministérios da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Pescas e Ambiente e Energia, com fundos do Programa de Investimentos Públicos (PIP) e 45 por cento da obra já foi executada.
Todo o equipamento para o funcionamento da mini-hídrica já se encontra no município da Chibia e, no segundo semestre, começa a instalação das turbinas, explicou o director da obra. “As turbinas, os transformadores e outros equipamentos já se encontram nos armazéns da empresa gestora do perímetro das Gangelas, a Sogangelas”, sublinhou.
A construção da infra-estrutura onde é montada e perfuração da barragem já está concluída e a montagem da tubagem começa dentro de dias, explicou o supervisor da obra, Adeúno Birada.
O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, visitou na segunda-feira as obras, que criaram 20 postos de trabalho, entre engenheiros, pedreiros, electricistas, ajudantes e motoristas.
A infra-estrutura vai permitir aos agricultores e camponeses que trabalham ao longo do perímetro das Ganegelas aumentar a sua produção, enquanto a energia vai servir para apoiar as indústrias a instalar numa segunda fase. “O projecto é de âmbito central e é um contributo valioso do programa de combate à pobreza no meio rural”, reconheceu, notando que, com a conclusão da mini-hídrica, a Soganjelas vai poupar muitos recursos financeiros na aquisição de combustível e outros sobressalentes.
Localizada na bacia hidrográfica do Rio Tchimpunhime, afluente do Rio Caculuvar, a sul do Lubango, a barragem das Gangelas é de gravidade em betão, com uma altura de 30 metros. Sobre a mesma está projectada uma ponte apoiada em pilares para suporte do viaduto com 113 metros de comprimento.
O seu perímetro ocupa uma área de 6.220 hectares, sendo a área agrícola de 1.992 hectares, com 1.520 de regadio, e prevê uma colheita de anual de 48 mil toneladas de frutas diversas. A Sogangelas tem 12 accionistas, sendo o principal a Sociedade de Desenvolvimento dos Perímetros Irrigados. O presidente do Conselho de Administração, Guerra Pedro, disse que, a cultura de vocação é a laranja, limão e tangerineiras, embora também se desenvolvam a mangueira e goiabeiras. Os frutícolas ocupam 60 por cento da área cultivável, os cereais 15, hortícolas dez e tubérculos, leguminosas e raízes 15 por cento. As laranjeiras têm 45,5 hectares, tangerineiras 11,6, limoeiros 3,9, mangueiras 24,9, goiabeiras 2,8 e ananás 4,4. Na campanha agrícola 2011/2012, foi trabalhada uma área de 648.6 hectares. Os cereais e leguminosas ocuparam 165 hectares, hortícolas 41, batata rena 25, frutícolas 417,6, o que completo uma área de 648,6 hectares.

Tempo

Multimédia