Províncias

Mortes diminuem na pediatria do Hospital Central de Saurimo

Flávia Massua | Lunda-Sul

O serviço de pediatria do Hospital Provincial da Lunda-Sul registou, entre Janeiro e Setembro, 80 óbitos num universo de 1.847 crianças atendidas nesse período.

Empenho do corpo clínico está na origem do reduzido número de mortes na pediatria do hospital da Lunda-Sul
Fotografia: Flávia Massua

O serviço de pediatria do Hospital Provincial da Lunda-Sul registou, entre Janeiro e Setembro, 80 óbitos num universo de 1.847 crianças atendidas nesse período.
O chefe adjunto dos serviços de pediatria, Miguel Ivumino Soneca, disse que a maioria das crianças atendidas e internadas padecia de malária.
O funcionário da Saúde louvou o empenho dos técnicos no tratamento de crianças, o que esteve também na origem do reduzido número de mortes registadas.
As mortes, referiu, foram causadas, sobretudo, pela chegada tardia dos enfermos aos serviços médicos, pelo incumprimento da prescrição médica e pela escassez de recursos por parte dos encarregados de educação.
A secção de pediatria do Hospital Provincial da Lunda-Sul, que atende, em média, por dia, 150 doentes, tem sete médicos, dos quais três expatriados. />Miguel Soneca lamentou que a “rotura da reserva de sangue para situações de emergência” reduza a “capacidade de intervenção dos técnicos”.
Os doentes recebem gratuitamente, da Sociedade Mineira do Catoca, leite, iogurte de soja e pão.
A maternidade do hospital dispõe, há mais de um ano, de duas incubadoras, que não funcionam por não haver técnicos que as montem.
De acordo com o chefe da maternidade Salvador Samazango, pelo facto de as incubadoras não estarem a funcionar, 15 bebés com necessidade de cuidados especiais, de um total de 2.900 partos, entre Janeiro e Setembro, foram salvos fazendo recurso a vestimentas de lã.
Apelou as mulheres grávidas a cumprirem com o calendário de consultas médicas e com o programa de vacinação, para evitar o nascimento de crianças deformadas.

Tempo

Multimédia