Províncias

Mortes por cólera no Huambo

Justino Vitorino |Huambo

Pelo menos nove pessoas morreram de cólera, na província do Huambo, desde o dia 27 de Novembro do ano passado, informou ontem o director provincial da Saúde, Elias Finde.

Estão a ser realizadas campanhas de sensibilização para travar a doença
Fotografia: JA

Pelo menos nove pessoas morreram de cólera, na província do Huambo, desde o dia 27 de Novembro do ano passado, informou ontem o director provincial da Saúde, Elias Finde.
  O responsável provincial da Saúde disse que foram registados 40 casos nas diversas unidades sanitárias da província, desde Novembro passado. Lamentou o facto das pessoas chegarem tarde ao hospital, o que tem provocado muitas mortes.
  “A partir do dia 19 Novembro do ano passado, as autoridades sanitárias começaram a registar um aumento de casos de diarreia e vómitos, muitos dos quais resultaram em óbitos, sobretudo no município sede do Huambo”, disse.
  De acordo com o director provincial da Saúde, a única doença endémica registada nos últimos anos na província é a malária, “mas nos últimos dias começaram a aparecer casos de cólera, o que preocupada as unidades sanitárias da província”.
    Até o dia cinco deste mês estavam internados no Hospital Central cinco doentes com cólera e, de acordo com Elias Finde, as áreas com maior proveniência são os bairros periféricos da Chivela, com um óbito, Canhe, Calueio, Calundo, Camussamba, Kachindombe, Kaquereua e Cangonte, com três casos cada um.
  As análises feitas na Direcção Nacional da Saúde Pública deram positivo, segundo Elias Finde, que apelou para a necessidade de  levar acabo junto das comunidades palestras de sensibilização, higiene e saneamento básico para travar o alastramento da cólera.

Tempo

Multimédia