Províncias

A experiência de um jovem inclinado na carreira fotográfica

Samuel António | Luena

Figueiredo Teófilo Mussolovela, um jovem empreendedor que descobriu na fotografia o seu verdadeiro talento, é hoje um dos fotógrafos com  mais popularidade e o mais solicitado na província.

Figueiredo Teófilo em plena actividade
Fotografia: Daniel Benjamim

Figueiredo Teófilo Mussolovela, um jovem empreendedor que descobriu na fotografia o seu verdadeiro talento, é hoje um dos fotógrafos com  mais popularidade e o mais solicitado na província.
Tudo começou há 22 anos, quando Teófilo Mussolovela entrou na profissão pela mão do seu tio, que na altura tinha um estúdio onde eram reveladas as fotos a preto e branco.
Com a curiosidade de quem quer seguir uma profissão aprendeu o máximo e hoje tem grande aceitação como resultado do seu bom trabalho.
 Apaixonado pela fotografia, o jovem de 38 anos nunca pensou largar a máquina mesmo com garantia de vários empregos.
“O tempo sempre foi o meu mestre e a experiência fez de mim o que sou, deixar a máquina é como negar minha identidade”.Teófilo Mussolovela diz que muita gente fracassa porque em vez de corresponder às exigências do trabalho, olha somente para os lucros: “tenho muita aceitação naquilo que faço junto das pessoas e instituições porque me esforcei sempre para ser um profissional competente embora muitos fujam deste meio porque a fotografia é pouco rentável”.
O fotógrafo diz que “o segredo deste trabalho reside na rapidez de execução, apresentar a tempo o trabalho e criar simpatia através dos bons resultados do trabalho feito”. Teófilo Mussolovela diz que para ser fotógrafo não basta apenas apontar a máquina ao alvo, é preciso algo mais: “muitos nesta carreira ficaram pelo caminho porque não eram exigentes no seu trabalho, é importante dominar todo o cenário que facilita uma boa imagem como por exemplo o tempo, o espaço e a posição do alvo”.
 De acordo com o nosso repórter fotográfico, o conhecimento profundo da fotografia passa por uma formação técnica e pela criatividade: “sem isto não há progresso no trabalho”. Mussolovela, afirmou que o seu grande objectivo sempre foi agradar ao cliente: “nunca tive reclamações dos clientes, porque gosto de fazer bem as coisas”. Ele vive exclusivamente da fotografia e é do seu trabalho que vem o sustento de quatro filhos e da mulher.
O tempo e a experiência deram a Mussolovela maior domínio da profissão o que ajudou a superar muitas dificuldades.
 Mas apesar de fazer tudo para ser exemplar na relação com os clientes, o fotógrafo diz que “algumas vezes as pessoas solicitam os trabalho e depois de tudo feito não cumprem os compromissos assumidos.”

 Memória fotográfica

Teófilo Mussolovela é um fotógrafo com história e memória.
 Os seus serviços são muito solicitados em aniversários, casamentos, baptizados e nos grandes acontecimentos realizados pelo Governo Provincial.
Ele tem tudo para ser um bom fotógrafo. Mas a natureza ainda o dotou de uma característica fundamental, mede quase dois metros: “a altura importante para um fotógrafo, porque os mais baixos têm dificuldades para captar a melhor imagem principalmente nas inaugurações, onde a presença de muitas máquinas fotográficas, todas ao mesmo nível, dificultam a captação da foto”.
O fotógrafo deve ter em conta a ética e o sigilo profissional porque algumas fotos “são confidenciais e não devem ser vistas por terceiros porque isso lesa a privacidade das pessoas fotografadas”, assegurou.
Aos principiantes na careira, Teófilo Mussolovela aconselha terem em primeiro lugar força de vontade, honestidade, amor ao trabalho e sobretudo respeito pelos clientes.
Tem na sua agenda fazer uma exposição com fotos sobre as zonas turísticas, sítios e monumentos históricos da província do Moxico.

Tempo

Multimédia