Províncias

Activistas formados em iodização do sal

Pelo menos 20 jovens participam desde ontem num curso sobre a iodização do sal, uma acção promovida pela Cruz Vermelha de Angola (CVA) e a Acção Integral para o Desenvolvimento das Comunidades (AIDC), em parceria com a Direcção Provincial da Saúde.

Pelo menos 20 jovens participam desde ontem num curso sobre a iodização do sal, uma acção promovida pela Cruz Vermelha de Angola (CVA) e a Acção Integral para o Desenvolvimento das Comunidades (AIDC), em parceria com a Direcção Provincial da Saúde.
O objectivo do curso, de acordo com Manuel Yava, director provincial da saúde pública do Moxico, é incentivar o público consumidor a evitar o uso do sal não iodizado, devido aos efeitos negativos que este hábito acarreta.
A deficiência de iodo é a principal causa de danos cerebrais em fetos e em crianças, o retardamento do desenvolvimento psicomotor, anomalias congénitas, cretinismo, bócio, deficiência mental e outros problemas. Manuel Yava relacionou a falta do iodo no sal com altas taxas de crianças nascidas mortas, nascimento de crianças com baixo peso, problemas no período de gestação e aumento do risco de abortos e mortalidade materna.

Tempo

Multimédia