Províncias

Agricultor do Moxico enfrenta dificuldades

Samuel António | Luena

As dificuldades de acesso ao crédito agrícola inviabilizam, por enquanto, os planos de produção da fazenda Saihemba, localizada no município do Moxico, revelou ao Jornal de Angola o seu director, Fernando Rodrigues Saihemba.

Fazendeiro Fernando Rodrigues Saihemba
Fotografia: Daniel Benjamim | Luena

As dificuldades de acesso ao crédito agrícola inviabilizam, por enquanto, os planos de produção da fazenda Saihemba, localizada no município do Moxico, revelou ao Jornal de Angola o seu director, Fernando Rodrigues Saihemba.
O fazendeiro referiu que tem em perspectiva desenvolver uma agricultura moderna, mas o atraso no financiamento do projecto constitui o maior obstáculo à sua concretização.
“Não existe desenvolvimento sem agricultura, lembrou. Quando um país produz em grande escala reduz significativamente as importações e o custo de produtos”.
Fernando Rodrigues Saihemba apelou às autoridades competentes para viabilizarem os pedidos de concessão de crédito, para facilitar a produção agrícola na região.
O fazendeiro quer aumentar os níveis de produção e contribuir para baixar o desemprego na região. “Pretendo chegar o mais longe possível. Aumentar o número de trabalhadores e adquirir meios de trabalho modernos, que facilitem a prática de uma agricultura mais mecanizada”, sublinhou.
Para concretizar o seu projecto, o fazendeiro necessita de um financiamento de, pelo menos, 500 mil dólares americanos.
O gerente do Banco do Comércio e Indústria (BIC) no Luena, José Dismasse, disse por sua vez ao Jornal de Angola que a fazenda Saihemba tem condições para desenvolver o modelo de produção agrícola projectado. “O Executivo angolano está a trabalhar junto do sector bancário para facilitar, o mais rápido possível, o processo de concessão de crédito”, garantiu.
“Atendendo às condições existentes na província, tenho a certeza que, com a obtenção de financiamento, esta fazenda poderá produzir muito mais para o bem da população da província”, disse o gerente José Dismasse.
O supervisor do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), Domingos Massua, referiu que a instituição tem prestado assistência técnica aos agricultores para melhorarem os resultados produtivos. A título de exemplo, referiu que o IDA transferiu, provisoriamente, para a localidade de Cafinda dois agrónomos, para instruírem os produtores sobre as melhores técnicas de cultivo.
Domingos Massua recordou que “a agricultura é uma ciência e para haver maior rendimento as pessoas devem estar dotadas de conhecimentos que lhes permitam exercer, com eficiência, as suas actividades”.
A fazenda Saihemba existe há três anos. Possui 16 hectares cultivados de mandioca e mais de 20 de hortícolas e uma reserva de terreno de cana-de-açúcar e banana.

Tempo

Multimédia