Províncias

Aumenta o número de pacientes no centro de reabilitação física

José Rufino e Alíria Silva| Luena

O centro regional de reabilitação física do Luena registou, no primeiro semestre deste ano, um aumento considerável de pacientes devido ao conhecimento que já há da qualidade dos serviços prestados, disse sexta-feira ao Jornal de Angola o seu administrador.
Fernando Zola afirmou que, no mesmo período, foram fabricados no centro 24 próteses, reparadas 88, feitas 125 aplicações de gesso, 539 sessões de massagem, 128 mobilizações articulares e tratamentos em pessoas com problemas de acidentes cardiovasculares e epilepsia.

Aumento considerável de pacientes deve-se à qualidade dos serviços prestados
Fotografia: JA

O centro regional de reabilitação física do Luena registou, no primeiro semestre deste ano, um aumento considerável de pacientes devido ao conhecimento que já há da qualidade dos serviços prestados, disse sexta-feira ao Jornal de Angola o seu administrador.
Fernando Zola afirmou que, no mesmo período, foram fabricados no centro 24 próteses, reparadas 88, feitas 125 aplicações de gesso, 539 sessões de massagem, 128 mobilizações articulares e tratamentos em pessoas com problemas de acidentes cardiovasculares e epilepsia.
A falta de material e de outros equipamentos, referiu, fazem parte das dificuldades que impedem o funcionamento normal do centro.
Por outro lado, uma equipa composta por médicos de nacionalidade cubana, que trabalha na luta antivectorial, no Moxico, em parceria com o programa de controlo da malária, prevê a redução de casos de malária na região.

Luta antivectorial

Victor Betran, coordenador deste programa, fez saber que, durante os nove meses de campanha de controlo e prevenção, foram confirmados 496 casos de malária a nível do município de Kamanongue. />Aquele especialista cubano afirmou que devido ao índice de morbi-mortalidade de malária no mundo e, em particular, em África, a equipa no Moxico tem realizado acções de controlo e prevenção da malária, com a aplicação de bidarvicidas, controlo mecânico, saneamento básico e a utilização de mosquiteiros.
O programa conta com sete postos médicos municipais, prevendo despertar o interesse das comunidades em participar nestas actividades com o objectivo de diminuir a taxa de prevalência do paludismo.
Victor Betran afirmou que o projecto contempla a realização de palestras nas comunidades, formação técnica, seminários de capacitação dos agentes comunitários da saúde e preparação da brigada antivectorial.
Os especialistas cubanos pretendem, na próxima campanha, alargar as áreas de actuação com a formação de um círculo de interesse profissional de luta antivectorial, partindo das escolas do segundo ciclo e consolidar a experiência de internamento quando entrarem em funcionamento os novos centros de saúde na região.

Tempo

Multimédia