Províncias

Camanongue melhora os serviços sociais

Samuel António| Luena

A construção de escolas e unidades sanitárias nalgumas localidades de maior concentração populacional no município de Camanongue, no Moxico, estão a garantir uma maior confiança aos habitantes, que perspectivam um futuro cada vez melhor.

O município não tem tido problemas com o abastecimento de medicamentos e todas as unidades sanitárias oferecem um serviço condigno
Fotografia: Daniel Benjamim

A construção de escolas e unidades sanitárias nalgumas localidades de maior concentração populacional no município de Camanongue, no Moxico, estão a garantir uma maior confiança aos habitantes, que perspectivam um futuro cada vez melhor.
A administradora local adjunta, Anastácia Jinga, disse que o Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza está a ser bem executado, com vista a promover o desenvolvimento no seio da comunidade.
Em dez anos paz, foi possível aproximar da população os serviços sociais básicos, através da construção de mais infra-estruturas escolares, sanitárias e rodoviárias.
Anastácia Jinga adiantou que a paz permitiu a execução de muitos programas de investimento e proporcionou maior acesso à educação e à saúde, mesmo nas zonas mais recônditas do município.
No sector da educação, foram construídas 12 escolas de carácter definitivo e reabilitadas outras que permitiram absorver mais crianças no sistema de ensino.
Com 368 professores, distribuídos por vários bairros e povoações, foram matriculados, este ano lectivo, 16.972 alunos da iniciação à 9ª classe, revelou o chefe da repartição da Educação.
Henriques Salomão Pasta avançou que, neste momento, o município necessita de mais 60 salas e de 36 professores para fazer face à procura.


Um médico para a localidade


Na área da saúde, Camanongue enfrenta ainda diversas dificuldades, apesar dos avanços registados. Entre os grandes problemas vividos, destaca-se a necessidade de mais um médico, para atender cerca de 50 mil habitantes. Esta situação tem criado alguns embaraços na melhoria do atendimento de casos relacionados com as principais enfermidades, como a malária, doenças diarreicas e respiratórias agudas. Por esse facto, o município de Camanongue necessita de mais médicos de várias especialidades e enfermeiros, para se juntarem aos 45 técnicos ali colocados.
O responsável do sector da saúde, Jeremias Samanhonga, disse que, apesar das debilidades referidas, o município não tem tido problemas com o abastecimento de medicamentos e garantiu que todas as unidades sanitárias a nível da municipalidade estão apetrechadas para oferecer um serviço condigno aos pacientes.
Um centro de saúde, com capacidade para 30 camas, está a funcionar a nível da sede municipal. A unidade conta com serviço de banco de urgência, obstetrícia, medicina geral, pediatria, laboratório e farmácia.
A par desta unidade sanitária, que recebe entre 60 a 70 pacientes por dia, foram construídos sete postos de saúde noutras localidades. Anastácia Jinga afirmou que as autoridades municipais vão continuar a trabalhar na perspectiva de criar condições que visam o bem-estar social.
A responsável acrescentou que a concretização dos programas municipais Integrados de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza permitiram a inauguração, recentemente, de duas novas escolas primárias, com três salas cada, nos bairros Mazemba e Camuleque.
A administradora adjunta disse ser necessária uma intervenção urgente nos sectores da Educação e Saúde para se melhorarem as condições de assistência a nível destas áreas.Dos projectos sociais que estão a ser erguidos na municipalidade, consta ainda a construção do hospital municipal, com capacidade para internar 50 pacientes.
Os sectores da Energia e Águas também estão a merecer a atenção das autoridades locais. A administradora adjunta realçou a instalação do sistema de captação de água e de chafarizes nas regedorias e povoações de Muxirinjinje, Muapezo, Mazemba Sambavu, e a instalação de iluminação pública na sede e periferia. No sector da agricultura, a administração municipal está a mobilizar os camponeses para a criação de associações e cooperativas para facilitar a concessão de créditos agrícolas junto dos bancos, de modo a aumentar a produção na região.
O Programa de Fomento Habitacional, salientou a responsável, quando for plenamente executado vai conferir igualmente maior dignidade aos habitantes locais, mudando a imagem do município.
Para o início do projecto de construção do 200 fogos habitacionais, referiu a administradora adjunta, foram já desmatados alguns quilómetros de terra, esperando-se o arranque dos trabalhos que estão previstos para  breve.

Tempo

Multimédia