Províncias

Camponeses sem meios para escoar bens

A associação de camponeses “Kukenga”, da comuna de Calunda, município do Alto-Zambeze, na província Moxico, carece de meios de transporte para o escoamento dos produtos agrícolas para as áreas de comercialização, informou na semana finda  o seu responsável.

Enormes quantidades de bens agrícolas deterioram-se no campo por falta de escoamento
Fotografia: Jornal de Angola |

Nowa Kangowanhi disse à Angop que hortícolas diversos produzidos no início deste ano (em quantidade não especificada) se deterioraram por falta de transporte para escoamento.
Apenas 1.150 quilogramas de tomate que foram transportados para a sede municipal (Cazombo) foram vendidos, “graças ao apoio prestado pela administração municipal, sector da Agricultura, e a representação da União das Associações de Camponeses e Cooperativas Agro-pecuárias (UNACA)”, disse.
Os associados mantêm em sua posse, por falta de transporte, grandes quantidades de hortícolas, como cebola e repolho, que acabam por se estragar. O responsável da Associação Kukenga, Nowa Kangowanyi, pediu celeridade na concessão de crédito às associações de camponeses e cooperativas agrícolas, para a aquisição de sementes, moto-bombas para irrigação e outros inputs agrícolas.
Apesar dos constrangimentos encontrados na época agrícola passada, disse o interlocutor da Angop, para a presente campanha agrícola a associação Kukenga preparou, de forma manual, mais de cinco hectares, para o cultivo de diversos produtos. Os solos da comuna de Calunda são férteis para uma cultura diversificada, tanto para  tubérculos e raízes (mandioca, batata e batata-doce), como para ginguba e hortícolas. Calunda dista 73 quilómetros a leste da sede municipal de Cazombo. No passado foi uma potência agrícola e exportava mel e cera, além de madeira.

Tempo

Multimédia