Províncias

Chuvas destroem moradias e tornam vias intransitáveis

José Rufino|Luena(*)

Pelo menos 500 casas ficaram destruídas em resultado das fortes chuvas que se registaram nos últimos dias no município do Alto Zambeze, no Moxico, informou na terça-feira o coordenador municipal adjunto da Comissão de Protecção Civil, Aníbal Muquindji.

Mais de 500 casas ficaram destruídas deixando ao relento muitas famílias
Fotografia: João Gomes

Pelo menos 500 casas ficaram destruídas em resultado das fortes chuvas que se registaram nos últimos dias no município do Alto Zambeze, no Moxico, informou na terça-feira o coordenador municipal adjunto da Comissão de Protecção Civil, Aníbal Muquindji.
Em declarações à Angop, apontou os bairros periféricos da sede municipal (Cazombo) e as localidades situadas a mais de 50 quilómetros a sul desta, nomeadamente Muhaco, Lunachi, Cassombo e Luambo, como os mais afectados pelas enxurradas.
Aníbal Muquindji, que visitou as áreas sinistradas, lamentou a situação e disse que "caso as chuvas continuem a cair consecutivamente durante duas semanas", as pontes sobre os rios Muhaco, Lunachi e Lupewe poderão desabar e cortar a comunicação entre o leste e o sul da circunscrição. "A ponte sobre o rio Lupewe facilita a ligação entre o Cazombo e a Zâmbia, à qual as populações recorrem para aquisição de diversos produtos. Se a intensidade das chuvas continuar, inviabilizará o uso da estrada, complicando a situação da população", referiu.
Por outro lado, disse que as populações sinistradas, em número ainda por apurar, estão acolhidas em casas de familiares e precisam de apoios em bens de primeira necessidade, que a administração municipal está incapaz de satisfazer. O Alto Zambeze é um dos nove municípios da província do Moxico e tem uma população estimada em mais de 100 mil habitantes.

Malária continua a matar

A malária continua a liderar o quadro epidemiológico nos hospitais da província do Moxico, tendo causado, no ano passado, a morte de 139 pessoas, revelou o director provincial da Saúde.
Ruben Inácio referiu que, tendo em conta aqueles números, a luta contra a malária e outras endemias, a reabilitação dos principais hospitais da província e a formação de quadros são as grandes prioridades para o ano 2010.
As doenças respiratórias e diarreicas agudas, a hipertensão arterial, o VIH/Sida, que tem sido igualmente uma das principais causas de mortes nos hospitais, são outras grandes preocupações da direcção provincial.
Rubem Inácio que decorre um programa - “Luta anti larval da malária” - com o apoio da cooperação cubana.
A província do Moxico tem seis hospitais de referência: três provinciais e igual número de unidades sanitárias municipais.

(*) Com Angop 

Tempo

Multimédia