Províncias

Edificação de centenas de casas no Moxico

A administradora municipal adjunta do município fronteiriço dos Bundas disse sábado em Lumbala-Nguimbo que a construção de 200 fogos na circunscrição, prevista para este ano, reduz o défice habitacional que afecta a juventude local. 

A administradora municipal adjunta do município fronteiriço dos Bundas disse sábado em Lumbala-Nguimbo que a construção de 200 fogos na circunscrição, prevista para este ano, reduz o défice habitacional que afecta a juventude local.
 Filomena Miza confirmou à Angop a presença em Lumbala-Nguimbo da empresa de construção civil EBOMEX, a quem foi adjudicada a empreitada, estando já a trabalhar na desmatação e loteamento do terreno para a construção das primeiras 100 moradias.
 A administradora municipal  esclareceu que as outras 100 residências são erguidas na segunda fase da empreitada prevista para o próximo ano.
 A responsável esclareceu que  50 outras casas são também construídas na localidade, cujo projecto conta com o envolvimento da juventude local para sua celeridade.
 O município faz fronteira com a Zâmbia e tem registado o regresso constante de cidadãos nacionais que se encontravam naquele país na condição de refugiados, referiu Filomena Miza, acrescentando que isso obriga a administração a construir mais escolas nas aldeias, para absorver as crianças em idade escolar.
 Quanto à reabilitação do troço rodoviário que liga Lumbala-Nguimbo a Mungo (na Zâmbia),  avançou que os trabalhos estão dependentes da reposição das pontes sobre os rios Ninda e Luaty, pelo Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), estando previsto o seu arranque em Abril. “Estamos esperançado que tudo corra bem “, disse.

Tempo

Multimédia