Províncias

Erradicação da doença enfrenta dificuldades

A falta de medicamentos é apontada como uma das principais dificuldades que o Programa Provincial de Controlo da Lepra enfrenta para travar a propagação de casos da doença no Moxico, disse ontem o supervisor provincial da instituição.

Autoridades têm realizado palestras para que os doentes continuem a luta contra a lepra
Fotografia: Weza Pascoal

Domingos Baptista César referiu que, a par disso, o abandono do tratamento por parte de muitos doentes está a contribuir igualmente de forma negativa para a expansão da lepra a nível da província.
O supervisor provincial do Programa da Controlo da Lepra adiantou que é preciso que se ultrapasse fundamentalmente estas duas situações para que os doentes infectados não possam contaminar outras pessoas nas suas comunidades.
“A falta de medicamentos prejudica o tratamento dos pacientes de lepra, fazendo com que os leprosos suspendam este processo, abandonem-no e disseminem a enfermidade nas comunidades”, lamentou o responsável da saúde.
Domingos César acrescentou que, além de se registar um aumento de infecções, a ausência de fármacos provoca ainda resistência do agente causador da doença, que é contagiosa e leva alguns pacientes a recorrerem aos tratamentos tradicionais, muitas vezes sem sucesso.
Para inverter os casos de abandono do tratamento, o supervisor salientou que as autoridades têm realizado palestras de sensibilização, encorajamento e de dinamismo, para que os doentes continuem a luta contra a lepra a partir dos centros de saúde, embora com a insuficiência de medicamentos.
Apesar disso, o responsável acalma a população, salientando que esforços para a aquisição dos medicamentos para a cura da lepra estão a ser envidados pelas órgãos de tutela e da província.
O supervisor aconselhou a população a procurar os serviços sanitários sempre que notarem alguma mancha na pele indolor e outras anomalias.
Durante o primeiro trimestre deste ano, a província do Moxico registou oito novos casos de lepra em pessoas com idades entre os 15 e 45 anos.

Tempo

Multimédia