Províncias

Estrada precáriam trava circulação

Samuel António|Luena

O mau estado da estrada que liga Luena ao município de Camanongue, num percurso de 52 quilómetros, está a criar embaraços ao trânsito automóvel. O troço está esburacado, o que tem provocado inúmeros acidentes rodoviários.

A via está a inviabilizar a circulação de viaturas na provincia do Moxico
Fotografia: Daniel Benjamim

O mau estado da estrada que liga Luena ao município de Camanongue, num percurso de 52 quilómetros, está A criar enormes embaraços ao trânsito automóvel. O troço está completamente esburacado o que tem provocado inúmeros acidentes rodoviários.
No passado mês de Dezembro, várias viaturas carregadas de produtos para a quadra festiva foram forçadas a parar a 10 quilómetros da cidade do Luena e só saíram com a ajuda de máquinas de uma empresa chinesa.
O péssimo estado da estrada tem sido motivo de muitos protestos por parte da população, pelo facto de representar a única via de abastecimento na região.
Domingos Mulombe, camionista, disse que, por uma questão de segurança dos bens e das pessoas, o governo da província devia intervir, ainda que a estrada seja da responsabilidade do Governo Central.
“Não podemos permanecer muito tempo a viver de expectativas. O governo provincial deve arranjar alternativas, uma vez que o troço faz ligação com um município estratégico em termos agrícolas”, disse Domingos Mulombe. A distância que separa Luena de Camanongue é de 52 quilómetros. Em condições normais, o percurso faz-se em 35 minutos, mas devido ao mau estado da estrada a viagem demora mais de 12 horas. Marcos Panzo, outro camionista que trabalha naquele percurso, declarou ao jornal de Angola que muitos problemas podem ser resolvidos com facilidade, basta criar brigadas tapa buracos.
“Se o governo local não arranjar brigadas para tapar estes buracos, para facilitar uma boa circulação das viaturas, a população vai passar maus bocados, até pode resultar na desistência de muitos camionistas”, afirmou.
Sebastião Mateus, também camionista, referiu que o maior perigo por enquanto está no troço entre Camanongue e Luena. Porque entre Caiaza e Saurimo, que apresentava as mesmas dificuldades, já se circula com normalidade, graças ao trabalho de restauro que o governo da Lunda-Sul fez na via.
No Moxico, os efeitos do mau estado da via entre Camanongue e Luena já se fazem sentir. Alguns produtos começam a escassear e os preços estão a subir devido ao aumento do frete das viaturas.Marcos Panzo afirmou que não tem sido fácil recrutar um camionista para realizar a rota Luanda-Luena, porque eles têm graves prejuízos nas viaturas devido ao mau estado das estradas e ao tempo que se gasta até ao destino.
A província do Moxico tem uma extensão territorial de 223.023 quilómetros quadrados e uma população  estimada  em 240 mil pessoas.

Tempo

Multimédia