Províncias

Fim de um calvário na estação do Cunje

Matias da Costa | Cuito

Os trezentos e vinte e sete passageiros que estavam retidos na estação do Cunje, na cidade do Cuito, província do Bíe, desde segunda-feira, por falta de lugares no comboio que vinha do Huambo com destino ao Luena, Moxico, seguiram finalmente viagem ontem num comboio expresso.

Autoridades meteram em circulação um comboio expresso de grande porte
Fotografia: Edições Novembro |

O incidente aconteceu porque, durante três dias, o comboio chegou à estação do Cunje, vindo da província do Huambo, completamente lotado, pelo que os passageiros não conseguiam seguir viagem para as estações situadas no trajecto até à cidade do Luena. Devido a este constrangimento, a direcção regional dos Caminhos de Ferro de Benguela (CFB) programou ontem, de emergência, uma viagem do Cuito para o Luena, com um comboio com capacidade superior a 400 passageiros, terminando assim o sofrimento de muitas crianças e adultos que dormiam ao relento.
O director regional dos Caminhos de Ferro de Benguela, Aristedes Sebastião, garantiu à imprensa que já estão criados mecanismos para acautelar situações do género. “ A partir de agora vamos manter sempre um comboio disponível para acudir a situações do género, ou seja, quando a procura  por parte dos passageiros ao longo das estações no trajecto Huambo, Cuito e Luena for maior do que a capacidade das locomotivas, metemos imediatamente na via mais um comboio”, prometeu.  

Tempo

Multimédia