Províncias

Hospital de Camanongue é aberto ainda neste ano

José Rufino | Luena

As obras do Hospital Municipal de Camanongue, na província do Moxico, iniciadas em 2012, ficam concluídas ainda este ano, segundo o secretário de Estado da Saúde.

Objectivo das autoridades é diminuir a mortalidade
Fotografia: Kindala Manuel | Edicções Novembro

Leonardo Europeu Inocêncio, que visitou recentemente as obras, que estavam paralisadas desde 2014 devido à falta de financiamento, ga-rantiu que o hospital vai entrar em funcionamento no final deste ano, para melhorar a assistência aos habitantes daquele município, que dista 52 quilómetros a Norte da cidade do Luena.

O secretário de Estado da Saúde disse que o grau de execução física da obra situa-se em 98 por cento, faltando apenas alguns reajustes e o apetrechamento. “Neste momento falta apenas fazer a montagem dos equipamentos, para que se possa dar início às actividades hospitalares, que há muito são esperadas pela população deste município”.
No que diz respeito aos recursos humanos, Leonardo Europeu Inocêncio adiantou que o novo hospital vai ser as-segurado pelos técnicos que prestam serviços no único centro médico existente no município, bem como com os que forem admitidos nos próximos concursos públicos.
O Hospital Municipal de Camanongue terá 100 camas e vai contar com os serviços de clínica geral, pediatria, cirurgia, ginecologia, obstetrícia, ortopedia, bem como farmácia e morgue.
A administradora de Camanongue, Albertina Chipoia, que se manifestou satisfeita com o anúncio da conclusão das obras, disse que neste momento o município possui apenas um centro médico, com 24 camas, para atender um universo de mais de 34 mil habitantes.
Segundo Albertina Chipoia, urge reforçar os serviços da saúde no município de Camanongue, tendo em conta que é uma zona atravessada pela Estrada Nacional 180, com o registo de vários acidentes de viação.
“Por insuficiência de meios hospitalares, o município não tem conseguido dar a devi-da assistência a muitas vítimas de acidentes de viação”, concluiu.

Tempo

Multimédia