Províncias

Integração da região leste do país depende da recuperação das estradas

A efectiva integração social e económica entre o Leste e outras regiões do país só será possível após a plena reabilitação das estradas nacionais 230 e 180, consideram os  governadores provinciais do Moxico, Lunda Norte e Lunda Sul.

Degradação das estradas impede desenvolvimento e acentua as assimetrias
Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro

Os governadores estiveram reunidos no Luena, capital do Moxico, para traçar a agenda de desenvolvimento da região, que vive problemas comuns como as ravinas, que se multiplicam e ganham contornos cada vez mais preocupantes.
Segundo o porta-voz do I Encontro dos Governadores Provinciais da Região Leste, Ernesto Kiteculo,  o evento concluiu que o desenvolvimento e integração da região passa, necessariamente, pela reabilitação da estrada 230, entre Malanje, Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico.
“A recuperação da estrada nacional 230 facilitará as ligações das nossas províncias com o Nordeste e centro de Angola, nomeadamente, Cuanza Norte, Bié e Malanje. Só quando resolvermos isso falaremos de integração regional”, disse. A estrada nacional 180 também está “profundamente degradada” num troço de mais de 100 quilómetros, entre Saurimo e Dala, e a sua reabilitação facilitaria a livre circulação de pessoas e mercadorias com a província do Moxico.
Ernesto Kiteculo informou que o problema das estradas está entregue ao ministro da Construção e Obras Públicas e espera que a breve trecho as obras sejam retomadas. Quanto às ravinas que ameaçam as províncias do Leste do país, o governador da Lunda Sul disse que o ministério da Construção e Obras Públicas tem um programa nacional, que deve retomar em breve.
O comunicado final do encontro recomendou a apresentação ao Conselho de Ministros de uma proposta de reabilitação de aeródromos da região, a construção de mini-hídricas, a instalação das sedes das empresas diamantíferas nos locais de exploração, bem como a revisão do pagamento da quota de 10 por cento.
A expansão dos sinais da rádio, televisão e telefonia a nível dos municípios, comunas e aldeias, a construção de plataformas logísticas e a criação de linhas de crédito para empresários da região, foram outras recomendações saídas do encontro. 
Sobre estes aspectos, segundo Ernesto Kiteculo, os governadores entendem que a competitividade dos empresários da região leste com as províncias limítrofes dos países vizinhos, nomeadamente, a República Democrática do Congo (RDC) e Zâmbia, passa, igualmente, pela criação de polos logísticos, aeroportos e aeródromos.
A exploração desenfreada da madeira também foi analisada e os três governadores reconhecem haver problemas com o transporte, cubicagem, reflorestação e os tipos de espécies abatidas de modo indiscriminado.

Tempo

Multimédia