Províncias

Jornadas debatem desenvolvimento sustentável

Lino Vieira| Luena e Dionísio David| Ondjiva

A Escola Superior Politécnica do Moxico (ESPM), da Universidade José Eduardo dos Santos, realiza até hoje, no Luena, as segundas Jornadas Científicas, com o objectivo de contribuir para a resolução dos problemas sociais, económicos, institucionais e culturais a nível da região.

Jornadas provam que a Universidade está empenhada em encontrar soluções sustentáveis para os diferentes problemas
Fotografia: Daniel Benjamim

A directora-geral da escola Superior Politécnica na província, Isabel dos Santos, disse, na abertura das Jornadas Científicas, integradas nas comemorações do 72º aniversário do Presidente da República, que o importante não é apenas ensinar, mas também promover a extensão universitária e a investigação científica.
As jornadas científicas, prosseguiu, provam que a Universidade José Eduardo dos Santos está empenhada em encontrar soluções sustentáveis para os diferentes problemas das províncias do Huambo, Bié e Moxico.  
A aprovação do decreto que reestruturou o ensino superior e culminou com a criação de novas Universidades Públicas e divisão do país em regiões académicas, possibilitou  a aproximação dos serviços do ensino superior nas 18 províncias e garantiu  a superação académica e científica a milhares de angolanos, considerou Isabel dos Santos.
O reitor da Universidade Católica de Angola, professor doutor Vivente Kacuchi, dirigiu uma palestra sobre o papel da universidade no contexto actual de desenvolvimento de Angola e a realidade da província do Moxico. Durante as Jornadas Científicas, os participantes analisam, entre outros temas, o impacto da educação no desenvolvimento económico das sociedades, avaliação do potencial energético dos resíduos sólidos e determinação da procura química de oxigénio em fontes de abastecimento de água na cidade do Luena.
Foram igualmente debatidas questões ligados à conservação da fauna selvagem e sua  utilização sustentável, qualidade de vida das pessoas com sequelas de acidente vascular cerebral hemorrágico e os órgãos alvos. O Instituto Superior Politécnica do Moxico administra oito cursos nos ramos da saúde, educação, ciência de computação, contabilidade e administração.

Professores primários


A direcção da Educação, Ciências e Tecnologia na província do Cunene promove jornadas pedagógicas para professores e activistas sociais, no âmbito da educação infantil e alfabetização.
O encontro teve a duração de três dias e foram abordadas questões ligadas ao quotidiano da educação infantil, construção de leitura, brincar e aprender no mundo da literatura e da escrita, desafio da avaliação no processo de ensino e aprendizagem.
Materiais para leitura e matemática, jogos e oficinas de ideias para as aulas e novos rumos e técnicas para uma aprendizagem eficaz, consta igualmente do programa.
O director da Educação, Ciência e Tecnologia, Lúcio Ndinoiti, disse que durante os três dias de formação, os participantes vão abordar os temas agendados com finalidade de tornar eficientes os métodos primários de ensino da escrita e da leitura, nas escolas de classes iniciais e nas creches. A linguagem adquirida pela criança no meio familiar, baseada na oralidade começa a ganhar outra dinâmica no meio escolar com a necessidade de codificar e descodificar graficamente os sons percebidos e pronunciados por si e por outras pessoas.
O responsável lembrou que a nova etapa de aprendizagem da linguagem por via da leitura e da escrita deve ser bem cuidada pela escola, porque, referiu Lúcio Ndinoiti, dela depende o ritmo da aquisição de conhecimentos que o aluno vai precisar para o sucesso escolar.
"O constante desejo de diferenciar e interpretar o sentido das coisas encontra-se no fundamento da prática da leitura e da escrita.  Penso que o importante é compreender que o desenvolvimento da linguagem oral e escrita, premeia todo o processo de construção do conhecimento da criança", disse.
O director da Educação, Ciência e Tecnologia sublinhou que as crianças precisam de construir o seu conhecimento com apoio da escola que o ajuda através da linguagem, da aprendizagem, da leitura e da escrita.
“É na leitura e na escrita que a criança aprende a ler, a falar, transformando-o num cidadão crítico, questionador, potenciador e transformador da sua realidade”, afirmou
O supervisor do município de Ombadja, Van-Dúnem dos Santos, disse que acção formativa é bem-vinda, pois ajuda a melhorar os conhecimentos.

Tempo

Multimédia