Províncias

Jovens devem reforçar as boas práticas de conduta social

Kapalo Manuel | Luena

O padre católico Alberto Fulai Lingudja apelou ontem, na cidade do Luena, às famílias, principalmente os jovens da província do Moxico, a reforçarem as boas práticas e o respeito aos mais velhos.

Sacerdote criticou a forma como os jovens evoluem na prática de sexo muitas vezes de forma prematura daí os casos de gravidez precoce
Fotografia: M. Machangongo | Edições Novembro

O sacerdote recomendou à sociedade o resgate das boas práticas de conduta social, da humildade e das linhas da cultura africana, sobretudo na província do Moxico.
Alberto Lingudja falava durante uma palestra, subordinada ao tema “A Ética e os Valores Morais e Cívicos”, organizada pela direcção provincial da Família e Promoção da Mulher, em que estiveram efectivos da Polícia Nacional e das Forças Armadas Angolanas, além de funcionários públicos.
O padre da Diocese do Luena condenou a forma como as pessoas vivem actualmente, levando ao abandono dos valores éticos, morais e cívicos ligados à cultura do país.
Alberto Lingudja disse que a ética fundamenta-se na obediência de normas, costumes ou mandamentos culturais, hierárquicos e religiosos recebidos, buscando transmitir o modo de viver e manter o equilibro das famílias.
O sacerdote da Igreja Católica avançou que a ética funda-se igualmente no bom relacionamento social, o que possibilita que todos saiam sem ser prejudicados, por causa desta conduta sadia.Explicou que cada grupo ou sociedade possui os seus códigos de ética, de acordo com os valores cívicos e morais da região.O padre salientou de que uma pessoa que não obedece à ética da sociedade onde pertence é anti-ética. Quanto aos valores morais, Alberto Lingudja disse que estes são o conjunto de tudo que se apresenta em qualquer ser humano com uma certa qualidade ou mérito, tendendo, por isso, para o bem.
O religioso avançou ainda que a sociedade actual está dominada e invadida pelas novas tecnologias de informação e de comunicação e pela maneira como se usam estes meios, que não facilitam o funcionamento das boas normas sociais. “Andámos a publicar a nossa imagem com aspectos de nudez e outros comportamentos negativos”, lamentou, para acrescentar que essas atitudes contribuem para a perda  dos valores cívicos e morais.
Referiu que quando se abandona a própria cultura para seguir outras está-se numa situação de desvalorização daquilo que são os hábitos, costumes e tradições da terra de que se é originário.
O padre Alberto Lingudja assegurou ainda que a cultura angolana tem muito valor e devem ser envidados esforços para o resgate dos princípios perdidos, tendo em conta que uma sociedade sem valores morais e cívicos não tem identidade.
“Aquilo que assistimos nas casas, nos serviços, nas ruas das nossas cidades, são sinais de que muitas coisas não estão bem e de que estamos perder os nossos valores morais e cívicos, qualidades que edificam a nossa sociedade”, alerta o religioso.
O padre criticou duramente a forma como os jovens evoluem na prática de sexo, muita vezes, de forma prematura, dai os muitos casos de gravidez precoce e de pais despreparados para cuidar dos filhos.
“Não é bom que os netos chamem os avós de pais, os filhos tratam de manos aos pais ou de casos de criança a educar outra criança”, exemplificou para considerar a situação preocupante. Quanto à da prostituição, o padre Alberto discorda da opinião de que a mesma prática tenha a ver com a melhor forma que as meninas e mulheres encontram para seu sustento, numa altura em que as ruas estão cheias de outras opções.
“Muitas meninas vestem-se mal para atrair e atrapalhar as actividades e a vida dos homens, o que é condenável, pois, a moral vale mais que a simples busca do dinheiro ou do tal ganha-pão”, rematou.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia