Províncias

Luau e Alto Zambeze ligados por nova estrada

Lino Vieira | Luau

A circulação rodoviária entre os municípios no Luau e Alto Zambeze, na fronteira com a Zâmbia, vai ganhar um novo impulso com a construção de uma nova estrada de 272 quilometros.

Os trabalhos na via decorrem a bom ritmo apesar das chuvas que assolam a região e que têm criado enormes dificuldades
Fotografia: Dombele Bernardo|

A circulação rodoviária entre os municípios no Luau e Alto Zambeze, na fronteira com a Zâmbia, vai ganhar um novo impulso com a construção de uma nova estrada de 272 quilometros.
As obras, que começaram em 2011, já atingiram os 130 quilómetros de terraplenagem do troço previsto, dos quais 15 beneficiaram do tapete asfáltico. A nova estrada vai ter uma largura de nove metros e meio, com duas faixas de rodagem de sete metros, sendo três e meio para cada lado, a colocação do tapete asfáltico, ampliação e melhoramento das bermas, sinalização horizontal e vertical.
O encarregado da empresa Queiroz Galvão, Robson Vasco, disse que as obras estão a decorrer a bom ritmo, apesar das chuvas que assolam a região e que têm criado grandes dificuldades no processo da execução dos trabalhos.
Robson Vasco frisou que os trabalhos registam significativos avanços e estima entregar a obra dentro dos prazos estipulados. A empresa tem no local meios técnicos modernos e uma equipa de 400 trabalhadores.
Para o regedor do município do Luau, Castro Mutunda Meneca, a nova estrada vai permetir maior circulação de pessoas e bens e facilitar aos camponeses e homens de negócios dos dois países escoar os seus produtos com maior fluidez.
Castro Mutunda Meneca referiu ainda que a construção e reabilitação das principais vias de acesso e a reposição das pontes em algumas localidades do município vão permitir mais desenvolvimento e contribuir significativamente para a erradicação da fome e da pobreza na região.
O administrador municipal do Luau, Juvenal Mutunda, sublinhou que o município tem beneficiado da construção de infra-estruturas sociais fruto do empenho do governo da província do Moxico, que sempre apostou na melhoria de vida da população.
A conclusão da estrada que vai ligar os municípios do Luau e Alto Zambeze até à vizinha Zâmbia, vai trazer maior desenvolvimento para os habitantes da região mas também para outras localidades do país. Juvenal Mutunda apontou a chegada do comboio dos Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB) ao Luau como um dos maiores ganhos que aquele município vai ter, dado o impacto que este meio de transporte sempre proporcionou à população daquela região mais a Leste do país.

   Investimentos públicos

Falando dos investimentos públicos, o administrador municipal afirmou que os resultados são visíveis, pois foram construidas várias infra-estruturas e reabilitados enormes troços de estradas secundárias e terciárias, permitindo melhor circulação de pessoas e mercadorias.
Ainda no quadro do Programa Municipal Integrado de Deselvolvimento do Combate à Pobreza, estão em curso acções para melhoramento de rede de distribuição de água e energia eléctrica e a construção de mais escolas e postos médicos visando melhorar a qualidade de vida da população.
Juvenal Mutunda garantiu a criação, em breve, de condições para o arranque das obras de construção da primeira fase dos 200 fogos habitacionais cujo terreno está preparado numa extensão de 25 hectares.
Para maior desenvolvimento do município, que dista 362 quilómetros da cidade do Luena, Juvenal Mutunda convidou todos os empresários a investirem no município, na medida em que a região garante possibilidades de negócios, tendo em conta a vasta fronteira que partilha com a RDC e a Zâmbia.

Dificuldades

“Os empresários interesados em investir nestas localidades não terão dificuldades porque as vias de acesso estão abertas, outras estão em construção e estamos de portas abertas para quem estiver interessado”, disse Juvenal Mutunda, acrescentando que a estrada principal que dá acesso ao município está em perfeitas condições para permitir o transporte de mercadorias.
o município do Luau conta com um hospital municipal e 13 postos médicos apoiados por quatro médicos e 175 enfermeiros. Para a expansão da rede sanitária e um atendimento personalizado, disse o administrador, a zona fronteiriça necessita de mais técnicos de saúde e a construção de outras unidades sanitárias em localidades de maior concentração populacional.
 No sector da educação, explicou, houve avanços significativos. O municipio tem desde finais do ano passado mais escolas devidamente equipadas, o que permitiu inserir mais alunos no sistema de ensino.
No presente ano lectivo, foram matriculados 19 mil alunos da iniciação à nona classe, mas por falta de salas de aulas suficientes, 2.675 ficaram fora do sistema de ensino. O aumento deste número, disse o administrador, deveu-se ao facto de municipio registar a entrada de cidadãos angolanos que viviam como refugiados na República Democrática do Congo.
 Luau precisa de mais escolas e 50 novos professores para reforçarem os 284 existentes.

Tempo

Multimédia