Províncias

Luena tem de repor as infra-estruturas

A solução dos principais problemas que afligem o desenvolvimento da cidade do Luena passa pela reposição de infra-estruturas viárias, iluminação domiciliária e pública, água e saneamento básico, e a intervenção nas vias secundárias, disse no sábado o administrador do município do Moxico.

O espírito inovador e criativo dos seus filhos transformou a cidade do Luena num centro de desenvolvimento e um símbolo histórico
Fotografia: Jornal de Angola |

Zaqueu Issac, que falava nas comemorações do 57º aniversário da elevação da então Vila Luso à categoria de cidade (18 de Maio de 1956), referiu que, apesar das insuficiências, a cidade registou, nas últimas décadas, alterações significativas, que permitiram melhorar as condições de vida dos seus munícipes. Actualmente, crescem a ritmo acelerado as actividades económicas e sociais estimuladas pela construção de novas infra-estruturas, num esforço conjugado para melhoria de bens e serviços fornecidos à população.
O município, referiu, cumpre o seu modelo produtivo através do comércio e hotelaria, e aposta no fomento agrícola para o combate à pobreza, como é o caso da instalação, há três anos, do projecto agro-pecuário de Sacassange.
O espírito inovador e criativo dos seus filhos transformou a cidade do Luena num centro de desenvolvimento e um símbolo histórico que, em várias ocasiões, acolheu actos de interesse nacional. Habitado por diversos grupos etnolinguísticos, com predominância de Quiocos, Mbudas, Luvales e Umbundo, as elites têm preservado a sua identidade social, contribuindo para que a população continue a manter as tradições e laços culturais de seus ancestrais, salientou.
 Com uma população calculada em meio milhão de habitantes, o município do Moxico tem como principais produtos agrícolas o milho, mandioca, batata-doce, girassol, amendoim, hortícolas, eucalipto, pinheiro, entre outros.
 A ex-vila Luso, actual cidade do Luena, nasceu das muitas alterações que surgiram na divisão político-administrativo no período colonial, que a elevou a esta categoria a 18 de Maio de 1956, através da portaria de 11 de Julho do mesmo ano.

Tempo

Multimédia