Províncias

Luvuei com novas obras sociais

LinoVieira | Bundas

Vários projectos de impacto social estão a ser executados na comuna do Luvuei, município dos Bundas, para melhorar o nível de vida dos habitantes da localidade, que dista cerca de 200 quilómetros da sede da província do Moxico.

Vários projectos de impacto social estão a ser executados na comuna do Luvuei, município dos Bundas, para melhorar o nível de vida dos habitantes da localidade, que dista cerca de 200 quilómetros da sede da província do Moxico.
O administrador Evaristo António, que falava no âmbito da visita que o governador João Ernesto dos Santos “Liberdade” efectuou à circunscrição, afirmou que o Programa Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Fome e à Pobreza está a contribuir, de forma positiva, para a execução de vários projectos socioeconómicos em curso na comuna.    
Entre os projectos em curso, referiu, está a construção de uma escola com quatro salas, um centro médico e duas residências para professores e enfermeiros.
Evaristo António afirmou que, no quadro do referido programa, estão a ser desenvolvidas acções em outros sectores, principalmente ligados à distribuição de energia e água potável aos moradores da sede comunal. O administrador garantiu que as novas salas vão ser concluídas em Setembro, para absorver mais de 200 alunos que se encontram fora do sistema de ensino.
A falta de transporte e o mau estado das vias que ligam a comuna do Luvuei a outras localidades estão a dificultar o escoamento dos produtos cultivados na região, o que, segundo o administrador, está a provocar enormes constrangimentos a muitas famílias camponesas.

Caça furtiva

A caça furtiva no Parque Nacional da Cameia, no município com o mesmo nome, província do Moxico, está a preocupar a direcção da instituição de reserva natural animal, manifestou ontem o seu administrador, Henriques José dos Santos. 
De acordo com o responsável do parque, o abate de animais é feito por caçadores clandestinos provenientes de diversas áreas do território nacional, provocando a extinção de algumas espécies e o desaparecimento de outras.
A extensão do parque (14.450 quilómetros quadrados), associada à escassez de meios humanos e técnicos, segundo Henriques dos Santos, dificulta a sua fiscalização na totalidade. Para contornar a situação, avançou o responsável, necessita-se duplicar o número existente de fiscais (15) e a aquisição de meios de transporte e logísticos, para melhor inspecção da área e combater os infractores.
O Parque da Cameia foi estabelecido como reserva de caça em 1935. É o segundo, depois do Parque Nacional do Iona, localizado na província do Namibe, com 15.150 quilómetros quadrados.
A fauna é composta por várias espécies, pacaças, nunces, songues, palancas, leões, hienas, leopardos, chitas, javalis e outras de pequeno porte. É atravessado por grandes cursos de água, como os rios Luena, Lumeje, Chifumaji e Lutembue, onde abundam hipopótamos e jacarés.Localiza-se entre os municípios da Cameia, Luacano, Alto-Zambeze e a comuna de Lucusse, no município do Moxico.

(*) Com Angop

Tempo

Multimédia