Províncias

Má qualidade na formação foi abordada

José Rufino | Luena

A qualidade do ensino nas três instituições de ensino superior existentes na província do Moxico está longe das expectativas, segundo o vice-governador para o Sector Técnico e Infra-estruturas.

Fotografia: DR

Manuel Lituai, que falava quarta-feira na abertura do ano académico 2019, acrescentou que a qualidade do ensino nas duas instituições privadas
e na pública não satisfaz as exigências que se pretendem dos quadros, para desenvolver a região.
Manuel Lituai disse que é preciso persistir na formação de qualidade, para se atingir o desiderato que moveu o Governo a instituir o ensino superior na região. O governante afirmou que o problema da fraca qualidade de ensino no Moxico está plenamente identificado e passa necessariamente pela dedicação dos estudantes e do esforço que as instituições devem empreender para transmitir com eficácia os conteúdos programados. Manuel Lituai adiantou que os governantes e a sociedade civil na província esperam das três instituições de ensino superior uma nova postura de actuação, que conduza o estudante a sentir-se obrigado a adquirir certa competência que um técnico superior deve possuir. Os professores, acrescentou, devem preencher os requisitos académicos, éticos e morais, que lhes permitam transmitir conhecimentos e formação adequada.
O governo da província do Moxico, indicou, vai fazer parte de um conjunto de tarefas, que deverão ser realizadas para o alcance de um ensino de qualidade, à altura das exigências, tendo sublinhado que as instituições de ensino não foram criadas para distribuírem diplomas.
Manuel Lituai agradeceu os esforços das três instituições de ensino superior na província, que mesmo em condições adversas se têm empenhado para satisfazer uma das grandes necessidades da população juvenil. Por seu turno, o director da Escola Superior Politécnica do Moxico, Victor da Silva, garantiu, em nome das três instituições, tudo fazer para melhorar os níveis de ensino, através da capacitação dos docentes e da exigência, quanto ao desempenho dos estudantes. A falta de recursos financeiros, materiais e humanos foi apontada pelo director como causa que inviabiliza o bom funcionamento das instituições de ensino superior na província.

Tempo

Multimédia