Províncias

Maternidade municipal necessita de enfermeiros

Augusto Baptista | Alto Zambeze

A maternidade municipal do Alto Zambeze, na província do Moxico, precisa de mais técnicos de saúde, disse na quinta-feira a administradora da unidade sanitária, Maria Lauce.

Apesar das dificuldades a unidade sanitária continua a atender os casos que ali chegam
Fotografia: Jornal de Angola

A situação é preocupante, uma vez que a maternidade dispõe apenas de um médico e cinco técnicos de enfermagem, que sentem grandes dificuldades para atender o elevado número de pacientes que acorre àquela unidade.
Em função desta situação, a administradora Maria Lauce apelou para que as autoridades envidem esforços no sentido de reforçar a equipa, no mínimo, com mais seis técnicos nas diversas especialidades.
Apesar das dificuldades, a responsável avançou que a instituição continua a atender, na medida do pos­sível, os casos que ali chegam. Des­­de Janeiro, a maternidade realizou 1.708 consultas pré-natais e 256 partos, 11 dos quais por cesariana. Maria Lauce afirmou que, neste momento, as populações locais começam a tomar noção da importância das consultas pré-natais, o que vai diminuindo os números de partos de risco.
Essa tomada de consciência está também a fazer com que poucas mulheres continuem a fazer os partos com parteiras tradicionais, acorrendo aos serviços sanitários.
A administradora afirmou que não existem grandes preocupações em termos de medicamentos. “Temos o necessário para acudir os casos que surgem”, afirmou.
A maternidade do Alto Zambeze é a única na província do Moxico. A mesma, que foi construída, em 2012, no âmbito do Programa de Investimento Público (PIP), tem capacidade para 18 camas.
O município do Alto Zambeze tem uma população estimada em 150 mil habitantes.

Tempo

Multimédia