Províncias

Moxico precisa de arquitectos

Samuel António |Luena

A falta de arquitectos na província do Moxico tem estado na origem de muitas deficiências na elaboração de projectos de construção de moradias, afirmou Manuel Lituai, director provincial das Obras Públicas.

Director das Obras Públicas
Fotografia: Daniel Benjamim

A falta de arquitectos na província do Moxico tem estado na origem de muitas deficiências na elaboração de projectos de construção de moradias, afirmou Manuel Lituai, director provincial das Obras Públicas.
Os lotes distribuídos para a construção de casas, acrescentou, carecem de um plano urbanístico. “Por exemplo, os espaços para as futuras redes de distribuição de água e de energia eléctrica, estabelecimentos escolares, zonas desportivas e de lazer não são definidos no acto de loteamento de terrenos”.
Como não existe nenhum acompanhamento por falta de técnicos especializados, o cidadão constrói ao seu bel-prazer e o resultado dá sempre no estreitamento das ruas, vedação de linhas de passagem de
águas pluviais e no surgimento de novas ravinas em toda a periferia da cidade, disse Manuel Lituai.
Na maioria das casas construídas, os aspectos técnicos quase não são observados. Um dos principais problemas das construções no Luena tem a ver com a drenagem de águas pluviais.
Os cidadãos que pretendem construir casas com meios próprios, têm prioridade na distribuição de terrenos, submetendo-se ao acompanhamento da comissão técnica, visando a execução das obras em conformidade com o padrão de urbanização previsto no plano.
O director provincial das Obras Públicas disse ainda que, na implementação de projectos ligados ao ramo da construção civil, requer-se a intervenção primária do arquitecto, que tem a missão de elaborar estudos do espaço e da estrutura do edifício que se pretende erguer.
Para Manuel Lituai, a presença de arquitectos (não existe nenhum na província) e de engenheiros de construção civil (existe apenas um) passa por salários atractivos e a criação de condições habitacionais condignas.
O director provincial das Obras Públicas disse também que dentro das especialidades de engenharia civil, existem outros elementos que fazem falta na província, como engenheiros especializados em estruturas hidráulicas e electrotécnicas.

Tempo

Multimédia