Províncias

Moxico vai dispor de mais hospitais

Lino Vieira| Luena

A província do  Moxico vai dispor, nos próximos anos, de mais cinco hospitais municipais e 50 novos centros de saúde, anunciou, recentemente, no Luena, o director provincial do sector.

Maternidade provincial necessita de novos médicos para assegurar o normal funcionamento
Fotografia: Lino Vieira| Luena

A província do  Moxico vai dispor, nos próximos anos, de mais cinco hospitais municipais e 50 novos centros de saúde, anunciou, recentemente, no Luena, o director provincial do sector.O Moxico tem quatro hospitais, 107 centros e postos médicos,  unidades que funcionam com 42 médicos e mais de três mil enfermeiros.
Para satisfazer as necessidades da população,  referiu Ruben Inácio, a província necessita de mais 130 médicos, 68 enfermeiros superiores e centenas de técnicos básicos em várias especialidades.
A direcção provincial da Saúde, afirmou, pretende reforçar os serviços nos municípios fronteiriços, principalmente nos Bundas, Luau e Cazombo para diminuir o número de angolanos que procura assistência médica nos países vizinhos.
O director-geral da maternidade provincial disse que a falta de espaço e de técnicos faz com que o estabelecimento não tenha condições para satisfazer o número de pessoas que procuram os seus serviços. Rotano Tchinguli declarou que, apesar disso, o estabelecimento vai dispor, nos próximos dias, de serviço de  de ecografia, o que evita que as pacientes tenham de se deslocar a Luanda.
O director-geral Ruben Inácio da maternidade lamentou que ainda se verifiquem mortes devido ao trabalho pouco cuidado de algumas parteiras tradicionais.
Por causa destas situações, revelou o responsável, em 2010, cerca de duas dezenas de  mulheres perderam a vida e, nestes primeiros três meses, a unidade já registou cinco óbitos.
Outra questão que contribui para o aumento de mortalidade materno-infantil, referiu Ruben Inácio, é a negligência de certas  mulheres, que não frequentam as consultas pré natais.
A maternidade provincial conta  com13  médicos e  123 enfermeiros, 17 dos quais frequentam, actualmente, formação superior fora do Moxico.
A maternidade necessita de, pelo menos, 50  novos enfermeiros e  15 médicos, disse, adiantando que a capacidade de internamento também é insuficiente.
A maternidade do Moxico registou, este ano, 878 partos, 54 dos quais cesarianas, na maioria realizadas em adolescentes com idades entre os 14 e 16 anos. A directora de enfermagem, Henda Doroteia, afirmou que, no ano passado, a maternidade atendeu mais de nove mil mulheres e realizou  cerca de  cinco mil  partos, dos quais 319 cesarianas.
Ao todo, nasceram 5.153  bebés e há o registo de 154 nados mortos.
A directora clínica do hospital  Sanatório do Moxico disse que os maiores problemas do estabelecimento são a falta de aparelho de RX e de uma casa mortuária.
Clementina Vumbi lamentou também a falta de um armazém para a conservação de alimentos e de água potável.
O hospital, que funciona com  57 enfermeiros e  um médico, tem 19 compartimentos por especialidades, com capacidade para  28 camas. Diariamente, o sanatório atende, em média, 30 pessoas.

Tempo

Multimédia