Províncias

Município tem falta de postos de saúde

Augusto Baptistas | Luena

As autoridades sanitárias da província do Moxico estão preocupadas com o número reduzido de postos saúde existentes no município do Camanongue, a  52 quilómetros do Luena, tendo em conta a densidade populacional que a circunscrição possui.

As autoridades sanitárias da província do Moxico estão preocupadas com o número reduzido de postos saúde existentes no município do Camanongue, a  52 quilómetros do Luena, tendo em conta a densidade populacional que a circunscrição possui.
O chefe da repartição municipal da saúde, Jeremias Manuel, referiu que a falta de postos médicos tem criado grandes transtornos aos pacientes e que é necessária a construção de mais unidades hospitalares, para permitir que os habitantes tenham um tratamento médico e medicamentoso mais humanizado.
O responsável afirmou que o problema pode ser resolvido com a construção de mais postos de saúde e com a conclusão do hospital municipal que está a ser erguido na sede do Camanongue, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos.
O centro médico do município recebe Camanongue diariamente uma média de 30 a 50 pacientes  com patologias diversas. Nos últimos dias, deram entrada naquele estabelecimento hospitalar 654 pacientes com malária, tendo sido registados dois casos de sarampo, 171 pacientes com gastrite, 284 com problemas intestinais e 1.457 infecções respiratórias.
O município Camanongue dispõe de 35 médicos de nacionalidade cubana, 190 enfermeiros e 45 técnicos administrativos. O centro de saúde de Camanongue tem oito ambulâncias para evacuação de casos graves para a sede da província.  

Tempo

Multimédia