Províncias

Municípios de novo ligados por estrada

Lino Vieira | Luena

Os municípios dos Bundas e Luchazes voltam, nos próximos tempos, a estar ligados por estrada asfaltada, quando estiverem concluídos os trabalhos de recuperação no troço entre as localidades de Luzi e de Cangamba, num percurso de 207 quilómetros.

Trabalhadores da empreiteira que realiza as obras de recuperação do troço rodoviário que liga as localidades de Luzi e Cangamba
Fotografia: Dombele Bernardo

Neste momento, apesar da situação financeira do país, as obras de recuperação do troço rodoviário entre os município dos Bundas e de Luchazes decorrem em bom ritmo, como considerou ontem o administrador desta última municipalidade.
Moisés Capalo Cambembe explicou que os trabalhos, enquadrados no programa do Governo Provincial do Moxico de recuperação das principais vias de acesso, já atingiram a fase de desmatação e terraplanagem no troço inicial.
O administrador disse que o troço é considerado dos mais precários entre as estradas secundárias a nível da região,  pelo facto de ser uma zona  bastante arenosa, daí acreditar que a sua reconstrução vai proporcionar um maior tráfegona região e permitir a aceleração do progresso das duas municipalidades.
O administrador municipal dos Luchazesafirmou que a conclusão da estrada vai trazer enormes progressos no processo de diversificação da economia, que considera depender em grande parte  das boas condições das vias de acesso.
O responsável adiantou que são as estradas que também impulsionam o sector agrícola, com bom escoamento os bens, para aumentar os níveis de produção e, posteriormente, alavancar o sector industrial. Moisés Cambambe reconheceu aspotencialidades da regiãona produção do arroz, mel cana-de-açúcar,  milho e batata-doce e apelou aos investidores para aproveitarem estes recursos que o municípiooferece.
O administrador garantiu que as autoridades vão apoiar as cooperativas agrícolas, no sentido deaumentar os níveis de produção, uma vez que o escoamento de produtos deixa, em breve, de constituir um problema com a entrada em serviço de uma boa estrada.

Sector da Educação

Sobre o sector da Educação, Moisés Capalo Cambembe afirmou que omunicípio conta, neste ano lectivo, com 6.014 alunos matriculados em três subsistemas de ensino. Por falta de professores e salas de aula, o administrador municipal de Luchazes disse que um total de 2.322 crianças ficaram fora do sistema de ensino.
No que toca ao Programa deAlfabetização e Aceleração Escolar, pelo menos 618 habitantes daquela municipalidade estão a frequentar as aulas, para aprender a ler e escrever. O município conta com seis  escolas de ensino primário, uma para oprimeiro ciclo do ensino secundário e outra que atende o segundociclo do ensino secundário.
Para atender as necessidades  do ensino e aprendizagem, Luchazes tem apenas 95 professores, cifra bastanteinsuficientepara cobrir o elevado númerode alunos registados. O programa de merendaescolar está a beneficiar 4.842 crianças a nível domunicípio, disse o administrador.

Assistência sanitária

Quanto ao sector da Saúde, o administrador considerou esta área como a mais estável”. O quadro clínico é bastante positivo, uma vez que, desde Janeiro, só registados um óbito por doença”, gaba-se.
MoisésCapalo Cambembe  assegurou que os serviços de assistênciamédica e medicamentosa estão garantidos, mas lamentou a falta demédicos nas especialidades de oftalmologia, cirurgia, ortopedia,clínica geral e também de parteiras.

Tempo

Multimédia