Províncias

Nível de vida no Moxico melhora

Samuel António / Luena

Moxico não pára de crescer, rumo ao desenvolvimento sustentável. As mudanças, facilmente notáveis, devem-se ao facto de os programas de maior impacto terem sido salvaguarda, para garantir o acesso da população aos principais serviços sociais básicos, apesar da crise financeira que tem estado a inviabilizar a execução de vários projectos, segundo dados do Governo Provincial.

Panorâmica da cidade do Luena, capital do Moxico, onde estão em execução vários projectos de impacto social
Fotografia: Angop

No quadro da governação participativa, ainda de acodo com os dados fornecidos, o Governo da província do Moxico realizou, no ano passado, vários encontros de auscultação com a sociedade civil, no sentido de perceber melhor os problemas que ainda afectam a população.

Nos encontros mantidos a nível das administrações municipais procurou-se identificar os problemas e traçar estratégias capazes de dar cobro ao plano de acções a serem executadas, tendo em conta as necessidades de cada um dos municípios.
Nos referidos encontros foram identificados múltiplos problemas e, com base a estes indicadores, o Governo tem envidado esforços para dar respostas às principais inquietações, com a construção de escolas, unidades sanitárias, assistência médica, melhorias das vias de acesso, saneamento básico, bem como a construção de pontes.
No seu discurso sobre os desafios da governação, dirigido aos estudantes dos três Institutos do Ensino Superior existentes na província, o governador Gonçalves Muandumba defendeu maior engajamento nos planos e acções do Governo da província, para elevar o índice de desenvolvimento humano na região. O sector da Saúde, de acordo com a chefe do departamento de inspecção, Madalena Upite, registou melhorias significativas, com as mortes por malária a diminuíram, comparativamente aos dois anos anteriores, segundo as estatísticas das principais unidades sanitárias da província. De acordo com os dados do Gabinete Provincial da Saúde, em 2017 registaram-se 167.077 casos de malária, com 1.274 óbitos, e, com a implementação do plano operacional da saúde pública, em 2018 os números diminuíram para 155.162, com um registo de 300 mortes.
Para este ano, o plano de execução de acções visa sobretudo reduzir a morbimortalidade, com uma aposta na aquisição de medicamentos, material gastável, reagentes, equipamentos e outros meios hospitalares, bem como admissão de mais médicos e enfermeiros.
Consta ainda no programa de 2019 a reabilitação do Centro Materno Infantil do Moxico, inauguração do Centro Regional de Reabilitação Física do Leste, Hospital Municipal de Camanongue, centros e postos de saúde com obras em curso, reforço do programa de combate à malária e a expansão do programa “Nascer Livre para Brilhar”, em toda a extensão da província.

Acções em curso

No sector da Educação, segundo o director provincial, Raimundo Ricardo, está em curso, desde o ano passado, a construção de 192 salas de aula, para reduzir o elevado número de crianças fora do sistema de ensino.
No âmbito da capacitação de recursos humanos, o Gabinete Provincial da Educação pretende dar seguimento à formação de professores e assegurar, por outro lado, a continuidade dos projectos “Escolas Amigas de Criança” e “Aprendizagem Para Todos”, já implementados em 42 escolas do ensino primário.
Além do ensino e saúde, o Governo da província do Moxico decidiu dar prioridade à agricultura, pelo facto de ser o principal elemento de desenvolvimento e de geração de emprego. No quadro desta estratégia, o Gabinete Provincial da Agricultura e Florestas, em combinação com outros sectores afins, tem vindo a desenvolver acções para promover o sector agro-pecuário e, por meio da criação de redes de produtores, contribuir na redução das importações.
O Governo do Moxico designou 2019 como o ano da implementação da agricultura e, para materializar esta ideia, vários camponeses beneficiaram de insumos agrícolas, equipamentos e instrumentos de trabalho, para incentivar a produção mecanizada, segundo o director provincial do sector, António da Silva.

Mudanças são facilmente notáveis em vários sectores

É notória alguma melhoria na mobilidade do trânsito, fruto de alguns trabalhos de terraplanagem que estão a ser feitos em alguns bairros da periferia da cidade do Luena.
Com a entrada em funcionamento da nova operadora Sambiente, os amontoados de lixo que constituíam uma ameaça à saúde pública deixaram de existir. A requalificação dos jardins, passeios e o melhoramento de esgotos, para absorver as águas pluviais, continua a ser uma aposta do Governo local, que pretende, nos próximos anos , ver uma cidade que orgulhe os seus habitantes.
O fornecimento de energia e água, apesar de ser ainda tímido, mostra sinais de melhoria. A nova central térmica, que está a ser construída no bairro Social da Juventude e que vai entrar em funcionamento no próximo mês de Abril, aumentará a capacidade de 56.32 para 70.32 megawott, mais que suficientes para atender toda a cidade do Luena e periferia.
Quanto ao fornecimento de água, foram feitas, desde o início do programa, mais de sete mil e 300 ligações domiciliárias na cidade do Luena.
Consta ainda do projecto para a segunda fase, que começa a ser implementado no próximo mês de Abril, mais 15 mil ligações domiciliárias, segundo o director da Empresa de Tratamento de Água, Celestino João. Numa região onde o papel da classe empresarial ainda é deficitário, o Governo continua a ser o principal empregador.
Segundo o governador Gonçalves Muandumba, Moxico é uma província em marcha, mas é preciso uma conjugação de esforços, por parte dos governantes, empresários e da população em geral.

Tempo

Multimédia