Províncias

Obras de construção nas vias garantem melhor segurança

Lino Vieira | Luena

As obras de construção e reabilitação das vias secundárias e terciárias na província do Moxico caminham a um ritmo satisfatório, apesar de algumas dificuldades financeiras que inviabilizaram a conclusão de vários troços, durante o último semestre, disse, ontem, no Luena, o director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA).

David Tito considerou excelente o dinamismo demonstrado pela empreiteiros no último semestre na execução das obra, que se perspectiva resultados satisfatório no quadro do programa  de construção  das vias secundárias e terciárias a nível da província.
Na província do Moxico está em curso a construção das estradas   Luena-Leua, Leua-Lumege, Luzí-Cangamba, Lumbala Nguimbo-Ninda, Ninda-Cassango, Cassongo-Tchume, Lucusse-Lumbala Nguimbo, Luau-Cazombo,  Lucusse-Lumbala Caquengue,  Lumege Pinto-Luangrico, Luangrico-Luxia, Luena-Boma e  Luena-Tchafinda.
Estão concluídos 80 quilómetros do troço que liga LumbalaNguimbo a Ninda, no município dos Bundas. 
 Relativamente aos atrasos que se verificam na conclusão de alguns troços,  David Tito explicou que a falta de liquidação de verbas tem originado alguns constrangimentos e disse que, por exemplo, as obras da estrada entre Luau e Cazombo ficaram paralisadas dois anos, o que impede  a conclusão de  185 quilómetros,  dos 272 que separam as duas sedes municipais.
Quanto aos trabalhos já executados, o director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) mostrou-se satisfeito pelo  que foi feito até ao  primeiro semestre deste ano, referindo que muito troços foram concluídos e outros continuam a ser  intervencionados. 
“O trabalho está correr muito bem, porque as empresa de construção estão aproveitar o tempo seco para acelerar  as obras. Como sabem, torna-se difícil ou quase impossível trabalhar-se no período das chuvas”, disse  David Tito.
 O Executivo angolano vai  continuar a trabalhar no melhoramento das vias de acesso nível da província, com objectivo de proporcionar um tráfego rodoviário mais fluído e seguro, de modo a facilitar as trocas comerciais entre os centros urbanos e o campo.
O director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) admitiu    que, apesar dos esforços, há ainda muito por  fazer, mas salientou que otrabalho já realizado deixa satisfeitos os  automobilistas que, no passado, eram obrigados a gastar dezenas de horas  para chegarem a qualquer localidade.  

Tempo

Multimédia