Províncias

Pessoas em zonas de risco beneficiam de novas casas

A partir de Setembro, Luena passa a dispor das primeiras 100 casas do tipo T2 e T3, de um total de 450, que se encontram em construção num projecto habitacional, no bairro 4 de Fevereiro, para acolher pessoas que vivem em zonas de risco, soube ontem a Angop junto do fiscal da obra.

Boa parte das residências do projecto já está concluída
Fotografia: Arimateia Baptista | Edições Novembro

Eliezer de Freitas avançou que as obras, a decorrerem sem sobressaltos, começaram em Março e primeira etapa de construção de 100 casas vai ser concluída em Setembro deste ano e as restantes 350 habitações, correspondentes à segunda fase, terminam em 2018.
O projecto habitacional, construído numa área de 28 hectares, comporta 180 residências do tipo T2, e 270 da tipologia T3, segundo informações prestadas por Eliezer de Freitas. Avaliado em mais de 27 milhões de dólares, o projecto inclui uma quadra desportiva, áreas de lazer e outra parte da reserva fundiária do Estado, que está salvaguardada para infra-estruturas sociais.
Sob a égide da Direcção Nacional de Investimentos de Infra-estruturas Públicas (DINIP), órgão do Ministério da Construção, o empreendimento habitacional empregou 383 trabalhadores, dos quais 348 nacionais.
No Moxico, um total de 429.584 pessoas foram vacinadas durante a campanha de vacinação contra a febre-amarela que decorreu nos últimos 18 dias nos municípios sede do Moxico e dos Bundas, informou na cidade do Luena, o chefe do departamento provincial da Saúde Pública.
Luís Domingos Mufengi disse a à Angop que o município sede da província vacinou 360 mil pessoas, entre crianças, adultos e grávidas.
O responsável da saúde acrescentou que que campanha envolveu 72 equipas de vacinadores, registadores e mobilizadores.
No município fronteiriço dos Bundas, salientou o responsável, foram imunizadas mais de 69 mil populares, tendo sido mobilizados 66 técnicos de saúde.


,

Tempo

Multimédia