Províncias

Pouca adesão ao planeamento na maternidade

José Rufino | Luena

A Maternidade Provincial do Moxico registou entre os meses de Janeiro e Agosto deste ano um total de 6.522 consultas de planeamento familiar, o que representa uma diminuição nas estatísticas da instituição, revelou ontem a sua directora clínica.

Rodeth Nele referiu que comparando com o mesmo período do ano anterior, em que a unidade assistiu 9.116 pessoas, houve uma redução de pacientes às consultas de planeamento familiar.
A falta de conhecimento por parte de algumas mulheres sobre a importância do planeamento familiar e o uso inadequado de anti-concepcionais têm estado na origem de muitas gravidezes indesejadas.  A directora clínica alertou que o mau uso de produtos anti-concepcionais causa vários efeitos colaterais, como hemorragia, tontura, dilatação do corpo, acrescentando que cada método usado na maternidade tem os seus efeitos, tendo em conta o organismo.
“Cada organismo reage de forma diferente aos medicamentos e a falta de conhecimento tem levado as mulheres a desistirem do planeamento, aumentando, assim, a probabilidade de terem muitos filhos não planeados”, disse.
Para contornar tal situação, Rodeth Nele garantiu que, nos próximos dias, a maternidade vai realizar vários ciclos de palestras nas comunidades sobre os benefícios do planeamento familiar.

Tempo

Multimédia