Províncias

Professores aperfeiçoam competências

José Rufino | Luena e André Brandão | Ndalatando

A acção de formação de três dias, que termina amanhã, no Luena, promovida pelo Ministério da Educação, em parceria com o Banco Mundial, destina-se melhorar as competências a professores e a aperfeiçoar a gestão das escolas.

Quadros da Educação em acção formativa
Fotografia: Nilo Mateus

A iniciativa, na qual participam também directores e subdirectores de estabelecimentos de ensino, bem como coordenadores de disciplina, tem também o objectivo de desenvolver um sistema de avaliação sistemática dos alunos do ensino primário.
O director provincial da Educação no Moxico disse que as autoridades provinciais pretendem preparar, desenvolver e testar um programa de formação contínua dos professores e melhorar os seus conhecimentos académicos competências pedagógicas.
Abel Pique afirmou que o cumprimenro destes requisitos vão ajudar a expandir o modelo de aprendizagem nas zonas de influência pedagógica.
 Por isso, referiu, não se pode descurar o processo de avaliação de aprendizagem através da preparação e disponibilização de assistência técnica aos responsáveis pela educação.
Numa primeira fase, declarou, foram seleccionados os municípios do Leua, Luau, Moxico e Camanongue como as áreas para desenvolver o projecto-piloto do programa.
O director provincial disse que para melhorar a prestação dos serviços de educação é importante que haja entrega total de todos os responsáveis das escolas, professores e outros intervenientes do processo de ensino e aprendizagem.
“Penso ser importante a entrega de todos os quadros do sector, pois só assim será possível termos na província um ensino com qualidade”, disse.

Município da Banga

O município da Banga, Cuanza Norte, precisa no mínimo de 50 professores de todos os níveis de ensino devido ao número de alunos matriculados este ano lectivo, disse ao Jornal de Angola o chefe de repartição do sector.
Jaime Zua referiu serem necessários pelo menos 15 professores para o segundo ciclo, outros tantos para o primeiro, dez para ensino primário e dez para o sexto escalão.
O municio tem 23 escolas, 12 dos quais de construção definitivo e algumas a precisarem urgentemente de obras de reabilitação, como são os casos das de Caculo-Cahui, 317 do Cariamba, 352 da Aldeia Nova, Bessenguele, Banze di Banze, Kimazundu, 355 do Kikacuna e 250 do Caculo-Cabaça. Este ano estão matriculados 265 no ensino primário, 443 no primeiro ciclo e 96 no segundo ciclo, além de 1.385 pessoas que frequentam aulas de alfabetização. 
No ano passado os alunos de todas as escolas do município tiveram merenda escolar aguardando o mesmo para este ano.

Tempo

Multimédia