Províncias

Projectos sociais renovam o Luau

José Rufino | Luena

O município fronteiriço do Luau, 362 quilómetros a Leste da cidade do Luena, está a ganhar novas infra-estruturas sociais, apagando as marcas da guerra, afirmou, ao Jornal de Angola, a administradora municipal adjunta.

O município fronteiriço do Luau, 362 quilómetros a Leste da cidade do Luena, está a ganhar novas infra-estruturas sociais, apagando as marcas da guerra, afirmou, ao Jornal de Angola, a administradora municipal adjunta.
“Com o alcance da paz, em 2002, o Luau começou a marcar passos importantes rumo ao desenvolvimento, com a construção e reabilitação de novas infra-estruturas, como escolas, hospitais e postos médicos, de abastecimento de energia eléctrica e de água”, disse.
Nora Mahongo Isaac revelou que há vários projectos em carteira para o rápido crescimento do município, como a expansão da rede sanitária e escolar, asfaltamento das principais ruas, saneamento básico, distribuição de sementes e de material agrícola para o fomento da agricultura e a reabilitação das vias secundárias que dão acesso às localidade vizinhas para facilitarem a livre circulação de pessoas e bens.
A administradora adjunta lembrou também que o município passou a dispor, recentemente, de um estabelecimento bancário, de serviços da telefonia móvel, de um hotel, com 26 quartos, e de um posto fronteiriço da Polícia Fiscal.
O governador da província do Moxico deslocou-se, no fim-de-semana, aos municípios do Luacano, Lumege Cameia e Leua para verificar o andamento de obras em curso.

Governador avalia obras no interior da província

Entre as obras contam-se a construção das sedes das administrações municipais e comunais, casas para os administradores e adjuntos, escolas, lancis e o sistema de abastecimento e tratamento de água na comuna do Lago- Dilolo, no Luacano.
O mau estado das vias de acesso àquelas localidades, argumentaram os empreiteiros, constitui a principal dificuldade para levar o material de construção para os locais das obras.
 O governador Ernesto “Liberdade” afirmou que, apesar de ter verificado alguns atrasos nos prazos contratuais, ficou satisfeito como o que viu e ouviu e encorajou os empreiteiros a prosseguirem com a mesma determinação para as obras terminarem rapidamente.

Tempo

Multimédia