Províncias

Projectos sociais são prioridade

Samuel António | Moxico

O governo do Moxico vai realizar um conjunto de acções, que compreende a construção de infra-estruturas sociais, económicas e de outros serviços complementares, disse, ao Jornal de Angola, a vice-governadora para os assuntos políticos e sociais.

Uma das apostas do governo é a recuperação do centro de reabilitação física cujas obras foram intorrompidas por falta de verba
Fotografia: Dombele Bernardo

O governo do Moxico vai realizar um conjunto de acções, que compreende a construção de infra-estruturas sociais, económicas e de outros serviços complementares, disse, ao Jornal de Angola, a vice-governadora para os assuntos políticos e sociais.
Adriana Bento afirmou que entre as acções, realizadas no âmbito  do programa bienal 2011/2012, está a construção de escolas, e hospitais e de postos médicos.    
O governo da província, referiu, dentro do programa de melhoramento do nível de vida das populações, reabilitou e construiu 175 escolas em várias localidades da província e, com isso, acrescentou, viu diminuir o número de crianças fora do sistema de ensino e muitas delas deixarem de estudar em condições precária.
“Temos ainda grandes dificuldades no sector da Educação, onde se regista um número elevado de crianças fora do sistema do ensino”, reconheceu, revelando:
“Outra preocupação prende-se com o estado em que se apresentam algumas escolas, sem o mínimo de condições, mas o governo está a fazer tudo para contornar o quadro actual”.
Adriana Cacuassa Bento salientou a importância da merenda escolar no processo de ensino e anunciou que o governo pretende expandir o programa, que tem contribuído para a diminuição dos índices de reprovações e desistências, sobretudo de crianças, cujos pais têm baixo rendimento.
A preocupação de momento, disse, tem a ver com o abandono do posto de trabalho de alguns professores colocados no interior da província, que se queixam de falta de incentivos e do mau estado das vias de acessos a que se junta a ausência de agências do BPC para poderem receber os salários.
 Na província foi desenvolvido o programa de alfabetização e aceleração escolar, projecto de combate ao analfabetismo, que a vice-governadora reconheceu ser de extrema importância e no qual, além do governo, participam partidos políticos e igrejas.

Assistência médica e social

Em termos de assistência médica e medicamentosa foram construídos e reabilitados vários hospitais municipais e centro médicos, pelo que o quadro clínico está agora melhor servido, com a inclusão, por concurso público, de mais enfermeiros.
Adriana Cacuassa Bento sublinhou que uma das apostas do governo da província é a recuperação do centro regional de reabilitação física, cujas obras foram interrompidas por falta de financiamento, mas que se está a trabalhar para se encontrar uma solução.
A vice-governadora disse que o centro começou por ser financiado por uma Organização Não-Governamental norte-americana até passar a depender da direcção provincial da saúde, que não tem orçamento para continuar a dar assistência aos portadores de deficiência.  O sector da Assistência e Reinserção Social funciona normalmente, tendo sido criado um programa de acompanhamento dos idosos e de outras pessoas, que actua nas comunidades.
Algumas localidades, regozijou-se, passaram a ter centros infantis comunitários.  A direcção provincial da Família e Promoção da Mulher também tem, desde Abril, um centro integrado de formação feminina, onde são dadas aulas de alfabetização, de informática, de culinária e de corte e costura.    
Quanto ao crédito jovem foi interrompido por, disse a vice-governadora, alguns dos primeiros beneficiários não terem honrado os compromissos com os bancos.
A governadora frisou que para atender às preocupações da juventude há na vila do Lumbala Nguimbo um centro comunitário devidamente equipado e com casas sociais. O governo provincial, prometeu, entrega, em breve, as casas aos jovens.

Tempo

Multimédia