Províncias

Rede sanitária em expansão

Lino Vieira | Luena

A província do Moxico carece de técnicos e de infra-estruturas hospitalares para prestar serviços de qualidades aos seus habitantes, disse ao Jornal de Angola Ruben Pedro Inácio, director provincial da Saúde no Moxico.

Hospital Heróis de Caxito na cidade do Luena é insuficiente para satisfazer as necessidades da província do Moxico e as autoridades pretendem reforçar a oferta de serviços à população
Fotografia: Jornal de Angola

A província do Moxico carece de técnicos e de infra-estruturas hospitalares para prestar serviços de qualidades aos seus habitantes, disse ao Jornal de Angola Ruben Pedro Inácio, director provincial da Saúde no Moxico.
Ruben Pedro Inácio ao radiografar o sector que dirige, disse que o número de médicos, enfermeiros e de infra-estruturas sanitárias não satisfaz as necessidades da população tendo em conta o aumento da população, após a chegada dos repatriados dos países vizinhos.
O responsável da saúde no Moxico, afirmou que existe um projecto para construção de 50 novos centros de saúde e cinco hospitais municipais para reforçar a oferta sanitária. Ruben Pedro Inácio informou que a província tem quatro hospitais, 107 centros e postos médicos, apoiados por 42 médicos e mais de três mil enfermeiros. Para satisfazer a procura, segundo o director de Saúde, a província necessita de mais 130 médicos, 68 enfermeiros superiores e centenas de técnicos básicos em diversas especialidades.
A Direcção Provincial da Saúde pretende reforçar os serviços nos municípios fronteiriços principalmente nos Bundas, Luau e Cazombo para diminuir a deslocação de cidadãos angolanos que procuram assistência médica nos países vizinhos.
Ruben Inácio informou que o Governo Provincial está a trabalhar para construir hospitais em todos os municípios e centros médicos e postos de saúde nas zonas mais isoladas, para evitar que as populações percorram grandes distâncias para serem assistidas.

Tempo

Multimédia