Províncias

Saúde e Educação entre as prioridades

José Rufino | Luena

O governo da província do Moxico vai dar prioridade aos sectores da Educação, Saúde e Agricultura, com vista a alcançar o desenvolvimento da região, segundo um programa apresentado ontem na cidade do Luena.

Panorâmica do Luena onde foi apresentado ontem o programa de governação do Moxico
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

A apresentação do programa foi feita pelo governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, durante uma palestra sobre os desafios da governação no Moxico e as expectativas do ensino superior, dirigida a estudantes dos três institutos superiores existentes na província. Durante a intervenção, Gonçalves Muandumba informou que a província do Moxico vai trabalhar para que o índice de desenvolvimento humano do país, que passou recentemente para a categoria média, continue a subir, deve-se, para tal, continuar a apostar no combate à pobreza.
Gonçalves Muandumba aconselhou os estudantes no sentido de trabalharem na área do desenvolvimento humano, para a obtenção de dados estatísticos. “Temos de ter a estatística, contar tudo para sabermos como resolver e sair de situações em que nos encontramos”, disse o governador, acrescentando que “a melhoria das condições de vida da população passa pelo bem-estar e, para isso, é preciso municiar a população com ferramentas que permitam ser dona do seu próprio destino”.
O governante disse ainda que o Governo do Moxico decidiu dar prioridade à agricultura, pelo facto de ser o principal elemento de desenvolvimento. “Além do ensino, a agricultura deve ser a solução para o desenvolvimento da província do Moxico”.
Gonçalves Muandumba adiantou que está em curso a construção de mais 192 salas de aula, para minimizar os problemas que o sector da Educação enfrenta. “Ainda estamos a registar a nível da província um elevado número de crianças fora do sistema de ensino e outras a estudar ao ar livre e/ou debaixo de árvores, por isso, tudo estamos a fazer para se contornar esta situação, que muito nos preocupa”, concluiu o governador.

Tempo

Multimédia