Províncias

Sede da administração e hospital estão em construção no Luacano

José Rufino|Luena

O município do Luacano necessita de mais professores para os 6.573 alunos matriculados, disse ontem ao Jornal de Angola o chefe da repartição municipal.

Com a falta de enfermeiros muitos pacientes são evacuados de emergência para Luanda a fim de receberem assistência médica
Fotografia: Jornal de Angola

O município do Luacano necessita de mais professores para os 6.573 alunos matriculados, disse ontem ao Jornal de Angola o chefe da repartição municipal.
Miranda Bernardo afirmou que entre os alunos matriculados, devido à falta de professores e de salas de aula, apenas 1.176 estão inseridos no sistema normal de ensino.
O município do Luacano, referiu, necessita de 50 novos professores para juntar aos 28 que tem e mais 70 salas de aula.
O sector da saúde, adiantou, é o que apresenta maiores dificuldades, pois tem apenas um centro médico, que funciona na sede do município, com oito camas, e quatro postos em localidades de maior concentração populacional.
Os seis enfermeiros que há no município, declarou Miranda Bernardo, são insuficientes para as solicitações, pelo que o Luacano precisa de mais de 20 técnicos. Um hospital, com capacidade para 30 camas, uma escola com seis salas de aulas, e a sede da administração comunal do Lago Dilolo estão a ser construídos no município.
O administrador municipal do Luacano, Pascoal Mucaso, disse ao Jornal de Angola que estão previstas várias acções para mudar a imagem do município, principalmente nos sectores da educação e da saúde.

Tempo

Multimédia