Províncias

Mulheres beneficiam de aconselhamento familiar

Víctor Pedro| Sumbe

 Mulheres provenientes de instituições sociais do Estado, ONG e representantes das Igrejas, em número de 32, sedeadas no Sumbe, beneficiaram, de 24 a 25 de Novembro, na província do Kwanza-Sul, de uma formação em matéria de “Habilidades no Aconselhamento familiar”, numa promoção do Ministério da Família e Promoção da Mulher.

 Mulheres provenientes de instituições sociais do Estado, ONG e representantes das Igrejas, em número de 32, sedeadas no Sumbe, beneficiaram, de 24 a 25 de Novembro, na província do Kwanza-Sul, de uma formação em matéria de “Habilidades no Aconselhamento familiar”, numa promoção do Ministério da Família e Promoção da Mulher.
O seminário decorreu na Escola de Formação de Professores e teve como objectivo habilitar as pessoas que trabalham no aconselhamento familiar.
Durante a apresentação sumária da situação real do ambiente familiar em Angola, a moderadora e consultora jurídica do Ministério da Família e Promoção da Mulher, Idalina Vieira, afirmou que “o momento é oportuno para que as mulheres do Kwanza-Sul e do país estejam bem preparadas para dar respostas exigidas em torno da insegurança que se instalou em muitas famílias, facto que preocupa o Governo”.
Idalina Viera fez saber que a “família, sendo o núcleo fundamental da sociedade, deve manifestar-se tranquila, para, de forma exemplar, contribuir para a harmonia social”. Lembrou que a mulher, como principal mensageira dos factos que ocorrem em todas as esferas da sociedade, tem que estar dotada de conhecimentos para facilitar a divulgação dos bons costumes e comportamentos.
O vice-governador para a Área Económica e Social, Mateus Alves de Brito, disse, na sua intervenção, que as influências negativas externas trazidas por pessoas de várias partes do mundo têm sido um factor desestabilizador da sociedade, sendo a juventude a principal vítima.
Apontou que “a falta de harmonia social dificulta que o país tenha uma sociedade sadia, onde se prime pelo respeito ao próximo, com perspectiva no desenvolvimento social e económico”. Durante o seminário foram abordados temas como “Medidas sobre o aconselhamento familiar”, “Mecanismos de encaminhamento de casos sobre fuga à paternidade”, “Abandono da mulher grávida” e “Registo de criança renegada pelos pais”.
O encontro abordou ainda temas sobre “As medidas preventivas contra o VIH/Sida” e “Mecanismos sobre o combate de outras doenças transmissíveis sexualmente”.

Tempo

Multimédia