Províncias

Mulheres entram no combate à fome e à pobreza no campo

Arão Martins | Lubango

A secretária provincial em exercício da Organização da Mulher Angolana (OMA), na Huíla defendeu, na sexta-feira, no município da Humpata, a criação de mais associações de mulheres camponesas para tornar exequível o programa do Governo de combate à fome e à pobreza no meio rural.

OMA entra na luta contra a fome e a pobreza na Huíla
Fotografia: Jornal de Angola

A secretária provincial em exercício da Organização da Mulher Angolana (OMA), na Huíla defendeu, na sexta-feira, no município da Humpata, a criação de mais associações de mulheres camponesas para tornar exequível o programa do Governo de combate à fome e à pobreza no meio rural.
Belinda Tchipongue, que falava numa palestra que marcou a abertura, na Huíla, das jornadas “ Março Mulher”, salientou que “a mulher, como garante da sustentabilidade das famílias, deve ser a base fundamental no combate à fome e à pobreza no meio rural”. “ É preciso que as mulheres estejam integradas em associações e cooperativas no meio rural, referiu. A secretária provincial em exercício da OMA pediu às instituições ligadas à banca que facilitem o acesso ao micro crédito e às mulheres huilanas incentivou-as a empenharem-se nas aulas alfabetização, na luta contra o HIV/Sida, no combate a violência no género, denunciando os prevaricadores, e na divulgação da nova Lei Constitucional.
Belinda Tchipongue sublinhou a necessidade de reflexão sobre a contribuição das mulheres nas acções que visam a melhoria das suas condições socio-económicas.
Para saudar o 2 de Março, Dia da Mulher Angolana, decorrem na província várias actividades politicas, recreativas, desportivas e culturais.
 A jornada “ Março Mulher” é comemorado, este ano, sob o lema “ Mulheres Angolanas mais rigor, mais transparência e melhor governação”.

Tempo

Multimédia