Províncias

Mulheres fabricam sabão

Nicolau Vasco | Cutato

Um grupo de mulheres camponesas do Cuando Cubango participa desde Fevereiro numa formação sobre o fabrico caseiro do sabão, por iniciativa da ­Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher. Até ao momento foram formadas 60 mulheres das comunidades dos municípios de Menongue e Cuchi. O sabão tem valor doméstico e comercial.   

Projecto é expandido ao maior número de mulheres das comunas e aldeias da província
Fotografia: Nicolau Vasco |

Mulheres rurais da província do Cuando Cubango participam, desde o mês de Fevereiro, numa acção formativa sobre a fabricação de sabão caseiro, com vista a  obterem um ofício para o sustento das suas famílias. A iniciativa é da Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher.
 A directora Provincial da Família e Promoção da Mulher, Florinda Catongo, informou que até ao momento foram já formadas 60 mulheres das comunidades rurais das aldeias recônditas do município de Menongue e do Cuchi, particularmente da comuna do Cutato.
A ideia é estender o projecto a todas comunas e aldeias da província para que todas mulheres possam beneficiar da acção formativa e poderem sustentar as suas famílias.
A responsável, que falava no acto provincial do Dia Internacional da Mulher, na  comuna do Cutato, explicou que o sabão caseiro é feito com base na mistura da fuba de milho (amarela ou branca), soda, óleo de palma e água. Esclareceu que se trata de uma experiência válida e que não a acarreta muitos recursos financeiros, mas sim produtos agrícolas cultivados nos campos.
Para o êxito do projecto, a Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher vai contar com auxílio das Direcções Provinciais da Agricultura e da Reinserção Social, no fornecimento de soda e óleo de palma, uma vez que estes produtos ainda não existem no Cuando Cubango. Dos produtos que compões a fabricação do sabão, a soda é a única que é adquirida no mercado informal, o que não acontece com os restantes componentes.
A directora Provincial da Família e Promoção da Mulher, Florinda Catongo, disse que apesar destes esforços, as mulheres do Cuando Cubango necessitam de mais oportunidades para se inserirem no mercado de trabalho, como incentivos financeiros para desenvolvem pequenos negócios para o sustento familiar. O vice-governador para o sector Político e Social, Pedro Camelo,  disse que o Governo Provincial está a trabalhar no sentido da valorização contínua do estatuto da mulher e na defesa dos seus direitos e deveres fundamentais, visando proteger a família para o desenvolvimento da sua personalidade, na criação de infra-estruturas sociais, como a protecção da maternidade, a sua permanência na escola e na criação de auto-emprego.
O Executivo está também a investir nas mulheres sobretudo na integração do processo económico, com acções de formação profissional nas diversas áreas do saber, para facilitar o ingresso no mercado de trabalho e que tenham as mesmas oportunidades com os homens.
O balanço da Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher no Cuando Cubango indica que a violência doméstica ainda é preocupante, visto que no ano passado se registaram 493 ocorrências.
Destes casos, foram resolvidos 188, 31 transferidos para a Direcção de Provincial de Investigação Criminal (DPIC), 32 para o Tribunal, 17 para a Justiça Militar, três para o sobado, 37 resultaram em separação de casais e 185 casos foram retirados.

Tempo

Multimédia