Províncias

Município da Nharêa regista novos casos

José Chaves | Nharêa

Pelo menos, 25 novos casos de oncocercose, também conhecida por “cegueira dos rios”, foram notificados entre Janeiro e Fevereiro deste ano, nas localidades de Cangolongolo e na embala Capeio, no município da Nharêa, anunciou ontem o director local da Saúde.

Fotografia: Domiano Fernandes| Edições Novembro

Aclínio Sanjala disse que durante o ano passado foram registados 196 casos de oncocercose.
O responsável avançou que o surgimento de casos novos de cegueira dos rios constitui actualmente uma das maiores preocupações das autoridades sanitárias do município da Nharêa.
O director municipal da Saúde da Nharêa explicou que a oncocercose ataca mais a pele humana, deixando-a desfigurada ou pigmentada com características de borbulhas, sarna, em casos mais leves, e escamas. Aclínio Sanjala afirmou que a cegueira dos rios se transmite através da picada do mosquito amarelo e da mosca preta, insectos reproduzidos nos cursos de águas rápidas.
Os sintomas ou sinais da doença manifestam-se, em princípio, com pequenas comichões nas nádegas, zona lombar e no ventre, o que obriga o doente a coçar-se até causar lesões ou úlceras.
Disse que a doença também provoca uma progressiva perda da visão, chegando mesmo à cegueira, com a invasão das filárias em toda a estrutura dos olhos. E causa igualmente perturbações psíquicas, como danos de memória.
O director municipal da Saúde da Nharêa explicou ainda que a doença tem cura na sua fase inicial, daí aconselhar que se procure tratamento, depois dos primeiros sintomas,  administrando-se metizam.

Tempo

Multimédia