Províncias

Município de Chicomba quer mini indústrias

Leonel Kassana

A produção de cereais no município de Chicomba, cerca de 230 quilómetros  do Lubango, regista crescimento nos últimos tempos, pelo que o  e executivo local está a fazer por instalar na localidade pequenas unidades industriais para a transformação deste produto,  revelou ao Jornal de Angola a administradora municipal, Lúcia Francisco.

Administradora de Chicomba
Fotografia: Mota Ambrósio | Edições Novembro

“Com pequenas indústrias para a transformação de cereais vamos produzir  diversas variedades derivadas deste produto, como farinha de milho, ração animal, fuba grossa, fuba limpa, fuba pala-pala e rolão”, perspectivou a administradora.
Para Lúcia Francisco, uma vez implementadas as pequenas fábricas em Chicomba, as famílias camponesas terão maior poder de compra , pois vão ter mais rendimentos, “além de estarem perfeitamente alinhadas com o Programa de Combate à Fome e à Pobreza no meio rural”.
Além de cereais, como milho, massango e massambala, Chicomba  tem se afirmado como um gigante na produção de feijão, batata rena, amendoim, mandioca e hortícolas. Contudo, as autoridades locais  encontram dificuldades para escoarem estes produtos para as restantes localidades da província devido à falta de vias de acesso às zonas produtivas.  A administradora de Chicomba , acredita, entretanto, que a situação das vias de acesso aos campos pode ser resolvida com a criação de brigadas de reparação de estradas nos municípios limítrofes. “ Esta foi uma das questões abordadas com muita profundidade no “Fórum das Cidades e Municípios”,  realizado recentemente em Luanda, onde também se tratou da descentralização e desconcentração administrativa e financeira”, disse.
Lúcia Francisca informou que os produtos de Chicomba já chegam ao Huambo, Namibe, Benguela, Cuanza Sul, Cunene e  Luanda. “Precisamos de mais compradores e praticar  preços mais competitivos”, referiu. A partir da província do Cunene,  segundo a administradora municipal, o milho de Chicomba chega a várias moagens da Namíbia, sendo, depois, a fuba  extraída vendida em Angola.

Tempo

Multimédia